Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião e entretenimento, no deambular de dois pólos

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião e entretenimento, no deambular de dois pólos

The Grinch e o contributo para um Natal diferente

the_grinch_review_benedict_cumberbatch

    The Grinch foi o filme escolhido pela minha Escola, por forma a proporcionar uma manhã diferente aos alunos, sobretudo aos mais carenciados, num Centro Comercial.

 

    Os filmes de animação há muito têm vindo a conquistar crianças e adultos. Este é um desses filmes. À animação (e humor!) junta-se a música, devidamente contextualizada. Porém, na versão portuguesa, a este nível, e atendendo ao público-alvo, a não tradução destes temas é uma falha evidente. O mesmo se passa com alguns elementos animados, com conteúdos em inglês e que deveriam constar na nossa língua. 

 

    O filme está muito bem traduzido e escrito. Há uma história, entre rimas, que recorda a nossa  infância. Eis o argumento:

 

 

O mesquinho Grinch odeia o Natal e quer tornar todos os Whos da cidade de Whoville tão infelizes quanto ele. Ele tenta todos os ardilosos truques que consegue imaginar para roubar qualquer vestígio da data festiva, mas não consegue.

 

      A reflexão e a discussão, as quais devem estar associadas a qualquer obra de mérito, são-nos possibilitadas. Para começar, temos algumas das razões que induzem muitas pessoas a abnegarem ou sentirem-se tristes, nesta época. Por outro lado, a prioridade não são os presentes, algo tão entranhado na nossa sociedade, mas o convívio entre todos, além do familiar. De referir, a criança que não quer um presente físico, mas a presença da mãe cujo mérito e esforço no trabalho reconhece. Quantos filhos refletem a respeito do sofrimento e esforça dos pais, no dia a dia, num ou vários empregos, por forma a proporcionar-lhes algum conforto?

    Dia 20 começa a época natalícia. Já pensou quantas pessoas estão imensamente sós, escondidas entre sorrisos e as paredes de uma casa? O que pensa a respeito do individualismo que se tem apoderado do ser social, que aparenta querer a sua ilha, sem qualquer outro elemento que não alimente o respetivo egocentrismo?

 

    Deixo-lhe o trailer do filme

 

6 comentários

Comentar post