Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

A série Special - uma abordagem diferente à Paralisia Cerebral

Abril 22, 2019

P. P.

Special - Season 1

 

      Na sua 1.ª temporada, lançada a 12 de abril deste ano, com 8 episódios de apróximadamente 15 minutos/cada, Special é uma série de humor, baseada no livro semiautobiográfico I’m Special: And Other Lies We Tell Ourselves (O’Connell, Ryan : 2015). Além de autor, Ryan é também o ator principal, autor, produtor e roteirista.

     Portador de paralisia cerebral (PC), num grau entre o leve e o moderado, Ryan revela competências no seu comportamento adaptativo, socialização e mentais. Homossexual, a sua principal dificuldade está em aceitar a sua deficiência.

      Temas pertinentes e pouco usuais norteiam a série: a sexualidade na deficiência, a auto-aceitação, os outros e a deficiência, as mães/cuidadoras,... Ingredientes suficientes para "espreitar" este momento, cujo trailer encontra aqui. Uma série não recomendada a xenóbofos, racistas e todo um conjunto de atributos que resumo à primeira por mim mencionada.

Sr. Ávila - uma série insólita no mundo do crime organizado

Abril 19, 2019

P. P.

Sr. Ávila

 

    Tony Dalton dá vida ao Sr. Ávila, uma série e produção original da HBO da América Latina e um sucesso mexicano.
      Recomendada para maiores de 18 anos, esta série e respetivas 4 temporadas, com um genérico magnífico, qualidade cinematográfica, fotografia, luz, adereços, sonoplastia, … não deixam ninguém indiferente ao mundo do crime, ao lado sádico e insensato que a caracterizam.

 

      Para a família, Ávila é um vendedor de seguros. Na realidade, o seu universo consiste em matar outros à la carte, como membro de uma organização que mais tarde liderará. A vida familiar não é compatível com o mundo do crime. A certa altura, Ávila passará de agente a elemento a abater,  num mundo regido por regras inusitadas, sem lugar ao perdão.

 

Trailer da T1 , T2, T3 e T4.

The Grinch e o contributo para um Natal diferente

Dezembro 14, 2018

P. P.

the_grinch_review_benedict_cumberbatch

    The Grinch foi o filme escolhido pela minha Escola, por forma a proporcionar uma manhã diferente aos alunos, sobretudo aos mais carenciados, num Centro Comercial.

 

    Os filmes de animação há muito têm vindo a conquistar crianças e adultos. Este é um desses filmes. À animação (e humor!) junta-se a música, devidamente contextualizada. Porém, na versão portuguesa, a este nível, e atendendo ao público-alvo, a não tradução destes temas é uma falha evidente. O mesmo se passa com alguns elementos animados, com conteúdos em inglês e que deveriam constar na nossa língua. 

 

    O filme está muito bem traduzido e escrito. Há uma história, entre rimas, que recorda a nossa  infância. Eis o argumento:

 

 

O mesquinho Grinch odeia o Natal e quer tornar todos os Whos da cidade de Whoville tão infelizes quanto ele. Ele tenta todos os ardilosos truques que consegue imaginar para roubar qualquer vestígio da data festiva, mas não consegue.

 

      A reflexão e a discussão, as quais devem estar associadas a qualquer obra de mérito, são-nos possibilitadas. Para começar, temos algumas das razões que induzem muitas pessoas a abnegarem ou sentirem-se tristes, nesta época. Por outro lado, a prioridade não são os presentes, algo tão entranhado na nossa sociedade, mas o convívio entre todos, além do familiar. De referir, a criança que não quer um presente físico, mas a presença da mãe cujo mérito e esforço no trabalho reconhece. Quantos filhos refletem a respeito do sofrimento e esforça dos pais, no dia a dia, num ou vários empregos, por forma a proporcionar-lhes algum conforto?

    Dia 20 começa a época natalícia. Já pensou quantas pessoas estão imensamente sós, escondidas entre sorrisos e as paredes de uma casa? O que pensa a respeito do individualismo que se tem apoderado do ser social, que aparenta querer a sua ilha, sem qualquer outro elemento que não alimente o respetivo egocentrismo?

 

    Deixo-lhe o trailer do filme

Suburra - A Série

Agosto 30, 2018

P. P.

Suburra

 

 

    No catálogo da Netflix, desde outubro de 2017, só agora debrucei-me nesta 1.ª produção da plataforma de streaming em Itália, com o apoio da RAI Fiction. Indicada para maiores de 13 anos, os momentos de ação e tensão são uma constante. Todos os personagens são maus e corruptos, há exceção do pai de uma das personagens principais cujo destino se adivinha...

 

    Como sinopse, temos: uma pequena cidade no litoral de Itália que se torna a capital dos casinos e centro do campo de batalha do clã da cidade, da máfia e de políticos facilmente corruptíveis.Como condimento, personagens do Vaticano "apimentam" a trama.

    A linguagem utilizada corresponde à corrente, com algumas expressões que me "chocaram", dado o meu baixo nível racista. "Sua p#t@ negra", "macaca", entre outras dirigidas a uma rapariga de raça negra. Por outro lado, a linguagem dirigida à comunidade cigana, também esta trivial no nosso país. 

 

    A forma como terminou a temporada deixa em aberto a grande probabilidade de uma 2.ª temporada. 

 

    Esta série é baseada num livro, sendo que um dos autores, Carlo Bonini, participou como argumentista.

 

Romance Suburra

 

    Desta produção, além de novos atores, encontramos estrelas da ficção italiana, como  Alessandro BorghiFrancesco AcquaroliPietro Ragusa

 

Elenco de Suburra

 

    O argumento, a luz, as interpretações e a fotografia, são cativantes, como pode conferir no trailer.

Série Fariña - o início do narcotráfico na Galiza

Agosto 10, 2018

P. P.

 

IMG_20180806_104735_070.jpg

 

   No dia 3 de agosto chegou, à Netflix, uma série que retrata o narcotráfico, na Galiza, durante a década de 80. O início do tráfico de cocaína na Europa, pela Galiza. Uma produção da mesma fonte de La Casa de Papiel, Gran Hotel, entre tantas outras; A3media. 

 

   Naquela altura, em Espanha, o setor da pesca sofreu drásticas alterações e endividou muitos dos pescadores que dependiam do seu trabalho para garantir o sustento das famílias e o próprio. Como tal, muitos deles recorreram ao contrabando de tabaco pelo mar, atividade punida com uma coima insignificante. 

 

   Tudo muda quando surge a oportunidade de enriquecerem ainda mais, através do tráfico de drogas pesadas, como cocaína ou haxixe, produzidas e transportadas pelos traficantes colombianos, liderados por Pablo Escobar. Apesar de a organização criminosa de Galiza decidir não se envolver no tráfico de droga, por sujeitar todos os membros ao risco de prisão, Sito Minãnco (Javier Rey) não acede e estabelece contactos com alguns dos membros do cartel de Medellín, na Colômbia. Esta série é baseada em factos reais e as personagen principais existem, quase todas elas, nos nossos dias, ainda vivas.

 

   De acordo com o The New York Times, “Na Galiza, a crise no setor da pesca e a explosão do narcotráfico são os dois lados da mesma moeda e ‘Fariña’ retrata com sentido e interpretações de muito alto nível esse momento”. Com menos violência do que Narcos, a série mantem-se fiel ao livro e aos factos ocorridos. Por outro lado, os atores têm um desempenho muito bom. Já que toda a história gira em redor do tráfico de tabaco e droga pelo mar, há muitas cenas de perseguições com barcos velozes e muitos disparos de forma dinâmica e devidamente contextualizadas. Destaco ainda, o excelente casting e figurinos.

 

Deixo-vos o trailer.

 

 

E ja agora, conheça todos os narcotraficantes em causa.

 

 

Sense8 - Amor Vincit Omnia ou O Amor Vence Tudo

Junho 10, 2018

P. P.

Together until the end

 

 

 

   Já escrevi acerca da série Sense8 . Na altura, na minha opinião reuni as 2 temporadas, a qual pode ler clicando na hiperligação, uma vez que aquela que realmente me cativou foi a segunda. Eis que no dia 8, à escala mundial, chegou-nos o 12.º episódio ou o episódio final, após várias exigências dos fãs, intitulado O Amor Vence Tudo (Amor Vincit Omnia).

 

   Com 151 minutos de duração, encarando-o como um telefilme, o tempo pareceu demais para atar todas as pontas soltas que tinham ficado das últimas temporadas. Porém, as cenas de ação fazem jus a muitos 007 e tudo ficou devidamente explicado e consolidado. Apreciei o cuidado da equipa técnica e realizadores por terem trazido personagens secundárias de cada uma das temporadas anteriores. Afinal, também elas têm qualidade e deram força à trama.

 

   Em mim persiste a sensação de que a série poderia-nos brindar com mais temporadas, apesar do desfecho apresentado conseguir responder às perguntas que foram deixadas em aberto e ainda emocionar.

   Não gosto de dizer que Sense8 abraça a comunidade LGBT, mas o Amor livre, sem preconceitos e a influência dúbia da sociedade. O ideal. Ou pelo menos, um dos meus aspetos pessoais ideais. Todavia, cada uma das personagens de diferente orientação sexual foram trabalhadas de forma digna e cuidada. Neste final, as cenas sensuais são em menor número, mas igualmente bem realizadas e cuidadas, com a luz ideal; o que confere beleza e arte.

 

   De acordo com  Ana Gordo, para o NIT.<<O humor não foi esquecido. "Lito (Miguel Ángel Silvestre) continua fiel a si mesmo, o ator drama queen que não sabe ao certo para que lado se virar e Capheus (Toby Onwumere) sempre com demasiada energia e a acreditar genuinamente que Sun é a encarnação viva de Jean-Claude Van Damn. O episódio final traz de volta mais uma personagem para aliviar os momentos tensos, Rajan (Purab Kohli), o marido de Kala (Tina Desai), que nos consegue arrancar umas quantas gargalhadas.>>

 

 Ludovico Einaudi - Time Lapse

 

   O episódio começa com o rapto de Wolfgang, onde terminou o episódio 11,  pela BPO, a organização criada para proteger os Homo sensorium , e que se distanciou desse propósito para passar a capturar e exterminar todos os não Homo sapiens deste mundo. Há que salvá-lo. Para isso, Will Gorski (Brian J. Smith), Sun Bak (Doona Bae), Kala Dandekar (Tina Desai), Nomi Marks (Jamie Clayton), Riley Blue (Tuppence Middleton), Lito Rodriguez e Capheus Onyango finalmente conseguem-se reunir em Paris, para traçar um plano com vista a entregar o vilão Sussurros (Terrence Mann) e acabar de uma vez com todas com a iminente extinção da sua espécie. Um momento, episódio ou telefilme ao nível das grandes produções de Hollywood

 

Assista ao trailer

 

 

As Telefonistas - um parecer sobre a 2.ª temporada

Janeiro 29, 2018

P. P.

   A segunda temporada de As Telefonistas, série Espanhola da Netflix, chegou-nos a 25 de dezembro. A respeito da 1.ª temporada escrevi aqui

Devido aos incêndios que afetaram e devastaram o nosso país, com predominância da região Centro, sem internet fixa até à semana passada, apenas neste fim de semana consegui concluir a visualização da temporada atual, que em nada desiludiu quanto aos padrões de qualidade da anterior.

 

As Telefonistas T2

 

   A trama retrata a vida de Lídia (Blanca Suárez), Carlota (Ana Fernández), Ángelez (Maggie Civantos) e Margae (Nadia de Santiago), funcionárias da companhia telefónica, em Madrid na década de 20. As quatro protagonizam situações típicas das mulheres que ousaram trabalhar no início do século passado, tais como o preconceito, relacionamentos e amizades num ambiente de trabalho por vezes inóspito. Destaca-se a procura pela independência liberdade.

 

   À semelhança da temporada anterior, os episódios da atual começam por enfatizar a violência doméstica. Um crime, a continuidade de enredos anteriores e a chegada de novos agilizam os vários episódios. As personagens Lídia, Ángeles, Marga e Carlota serão forçadas a manter um segredo que irá provocá-las, testá-las e incomodá-las, mas que acabará tornando a amizade delas mais forte do que nunca. Novos personagens, novas histórias, novos finais e especialmente novos inícios. Os direitos dos trabalhadores, amores e desamores, o funcionamento dos sanatórios naquela época, as drogas, o poder dos ricos e a transexualidade são temáticas abordadas. 

 

Classificação de 4,5 em 5  

 

Assista ao trailer 

 

 

A série Ingobernable

Agosto 24, 2017

P. P.

 

 

 

Ingobernable

 

 

 

 

   Ingobernable é uma série mexicana, da Netflix, lançada em março deste ano e com a segunda temporada prevista para 2018. É protagonizada pela verdadeira La Reina del Sur (2010), Kate Del Castillo.

   O suspense está presente do princípio ao fim, num mundo onde nem tudo é o que parece ser. Ao dar vida à 1.ª dama do México, a personagem principal, Emília será suspeita do assassinato do marido, dado um cenério previamente delineado. Quem matou o Presidente do México? À nossa agora ex-primeira dama resta fugir e continuar a descobrir a verdade...

 

A ver, o trailer.

Mais sobre mim

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D