Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

03
Jun19

Alguém gostará de mim?

por P. P.

carnival-411494_1920

 

 

    Tarde, junto à porta do laboratório.
O tempo, esse parece-me intemporal, mas constam pouco mais de 20 anos.
Uma aula terminada, um grupo/turma quase do meu nível etário.

Subitamente, encostada à parede, perdida no olhar, disse:
– Dizem que já não sou virgem. Alguém gostará de mim?
– O meu pai será sempre virgem. Nasceu em setembro! – respondi, brincando, ao tentar aliviar o olhar cuja barreira emocional nunca me permitiu ir além.


    Ainda encostada à parede, quase sem expressão facial e com aquele olhar triste, impenetrável e vazio, em resposta ao meu desafio “O que é para ti uma pessoa virgem?” retorquiu:
– Dizem que o meu pai me fez coisas e que agora não sou virgem. Assim, ninguém quererá ficar comigo. Acha que alguém gostará de mim?
– “Gostar” é muito mais do que uma condição. Certamente irás conhecer tantos homens e mulheres que gostarão de ti. Eu gosto de ti.
– No ano passado, a Prof.ª C. disse-me o mesmo.
– E não tem razão?


    Passaram-se os anos.
Casou, tem filhos e embora mais feliz do que quando mais nova, sinto algo estranho na sua escolha. Um homem que mais parece ter a idade do meu pai… Preconceito, talvez.

Em mim, a inusitada interrogação acerca da vida e do destino.

13
Abr19

A "moda" da prostituição na adolescência

por P. P.

      Em França, a Lei da Prostituição não tem protegido os(as) trabalhadores(as) do sexo, como é referido no sítio eletrónico da Euronews. Todavia, há quem permaneça alheio a este facto, em nome de um "desporto" que, entre aulas, pode gerar muito dinheiro fácil.

      As condições sociais, a escolaridade, a economia; entre outras, têm vindo a dar lugar a uma nova realidade: a prostituição na adolescência. Curiosamente, deste leque fazem parte aquelas que se consideram princesas. Não se veem como vítimas, dizem-se acompanhantes e defendem que o corpo é seu. Uma realidade, como pode conferir no artigo da RFI. Uma "moda" ou "desporto"?

27
Fev19

Elas estão a mudar

por P. P.

 

close-estrutura-modelo-170461

 

    O paradigma de que o consumo de pornografia é exclusivo do universo masculino está a mudar. De acordo com o artigo, Sim, as mulheres também veem pornografia - e estes são os tipos de vídeos que mais procuram, da revista Activa, que tem como base os elementos recolhidos pelo sítio eletrónico PornHub, o universo feminino tem vindo a definir o seu "terreno". 

    Portugal ocupa a 41.ª posição nas consultas a nível mundial, com 22% de visitas femininas. Claro que, há que ter em conta se o género, na inscrição na plataforma, é o real. 

    Uma vez que os vídeos são visualizados, essencialmente em tablets e smartphones, uma chamada de atenção aos pais dos adolescentes. Por experiência pessoal, como professor, por vezes, a disseminação destes vídeos e as práticas menos comuns são divulgados, nos grupos turma, por raparigas, aparentemente ingénuas ... A segurança online impõe-se, com a utilização de filtros e controle parental.

31
Jan19

Sex Education - o humor deambula pelos problemas da sexualidade

por P. P.

Sex-Education

 

    A comédia dramática Sex Education, da Netflix, que estreou a 11 de Janeiro, e que é da autoria de Laurie Nunn, retrata a vida de Otis Milburn, interpretado por Asa Butterfield. Ele, que é filho de um casal de terapeutas sexuais que se divorciaram recentemente, vive com a sua mãe, Jean (Gillian Anderson, a eterna Scully de a série “The X-Files”) cresceu a ouvir em casa, e às escondidas, as consultas da sua progenitora com os seus pacientes.

 

   Otis Milburn é um adolescente, naquela fase em que todos os jovens começam a pensar no início da sua atividade sexual, e Jean é uma terapeuta sexual, que fala abertamente com o seu filho sobre o tema, seria de esperar que Otis fosse mente aberta relativamente ao assunto. Na teoria até é, mas na prática …. No entanto, as coisas mudam de figura quando Otis conhece Maeve, papel interpretado por Emma Mackey.

 

    Em oito episódios, com uma excelente dose de humor, são abordadas temáticas da nossa adolescência e da dos outros. Algumas problemáticas referentes à sexualidade podem deixar o espetador "espantado", dado nunca ter pensado na existência das mesmas. Assim sendo, entre outros, são abordados temas como:

- os problemas, durante o coito, dos homens (rapazes) com o pénis grande;

- a dificuldade de alguns em tocarem nos seus genitais, considerando-os "nojentos";

- a virgindade de hetero e homossexuais;

- as atitudes adotadas por forma a integrar um grupo;

- os comportamentos entre grupos e a frieza que muitas vezes adotamos, durante esta etapa;

- o crescimento dos adolescentes, sem a presença dos pais;

- o reflexo dos pais nos filhos, obrigando-os à prática de atividades que não são do agrado deles;

- a masturbação;

- o sofrimento daqueles(as) que não se encontram ao mesmo nível de maturação sexual que a dos seus pares;

- as consequências, a longo prazo, de quando se assiste à cópula de um progenitor com outra pessoa;

- etc.

 

    Ingredientes mais do que suficientes para pais, adolescentes, professores e psicólogos, numa série bem contextualizada, com sequência, interpretações e roteiro muito bons e uma banda sonora, também ela magnífica, a qual acenta em músicas dos anos 80. A ver

20
Jan19

Arte - E ele disse

por P. P.

tumblr_plnleyikmv1s5kszfo1_400

(s/ referência ao autor)

 

E ele disse que o desejo e a cópula não são atos merecedores de todo e qualquer tipo de ovação. 

Entre as quatro paredes que sitiam um mar de emoções, movimentos e gemidos, a vulgarização torna-os atos miseráveis.

Daquele copo de vinho, o sangue derramado por todos os que alimentam bandeiras, não dignificando o que não foi uma escolha. Talvez, porque a aceitação se concretize por gestos e atos, não representados.

Um dia, toda a máscara cai.  

 

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sussure-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Wook