Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

20
Fev19

II Anos deste blogue Insensato

por P. P.

background-balloons-birthday-1415557

Photo by rawpixel.com from Pexels 

 

    Sem pretenções, indeciso entre o charco e a plataforma das palavras, por aqui permaneço há 2 anos. Ao contrário de alguns, não recorro a bandeiras ou rótulos, por forma a cativar leitores. Sou como sou e, sobretudo "Eu sou eu e as minhas circunstâncias", como nos refere o filósofo Ortega y Gasset. 

    O futuro é incerto, mas devo agradecer as amizades que por aqui tenho criado. Não posso esquecer, o que tenho aprendido e aquilo que têm-me possibilitado aprender. Só assim podemos evoluír. O meu profundo agradecimento.

Mais inusitado ainda, foi aqui e nas minhas duas redes sociais que tenho encontrado algum apoio e conforto neste momento de profundo vazio, o qual não sei de devo designar por "luto", "estado depressivo", "desgaste"... O contrário do que sucedeu em meio laboral. Ainda recordo, no corredor, aquele beijo desprovido de tudo e as palavras que não ouvi, desmoronando a minha curta esperança em estar errado.

    Neste Insensato, as palavras, por vezes duras e agrestres, não escondem falsas subtilezas ou pensamentos. Aqui, há extremos, com lugar à assertividade. 

    Muitas vezes considero-me um bloguista pouco amado (sei que o sou nesta plataforma!), sem resposta a diferentes solicitações, mas a frontalidade acarreta desvantagens. Curiosamente, até há poucos anos atrás, não sabia escrever sobre um filme ou uma série. Esta não era a minha zona de conforto.

    Não sei se por aqui continuarei.

Na verdade, neste momento, nem o sentido da vida e a minha missão consigo discernir e esmiuçar dos respetivos antónimos. No entanto, obrigado pela vossa presença.

28
Jan19

Por aqui, um novo estilo

por P. P.

agradecimento-buque-buque-de-flores-350345.jpg

Photo by Brigitte Tohm from Pexels

 

    Neste momento, banhado por cores algo inusitadas, sem dinâmica nem vida, é inevitável expressar o meu jubilo perante o gesto e obra artística da Gaffe

    Obrigado, pelo magnífico trabalho no visual deste meu blogue, naquilo que penso chamar-se layout

 

    Aquilo de que mais gosto? 

Sem dúvida a imagem do cabeçalho. Tão Insensata, suscetível de várias interpretações. Nunca consegui encontrar uma capaz de definir este espaço. 

 

    Uma vez mais, obrigado.

E um obrigado também a vocês, fieis seguidores e leitores. 

    Por enquanto, ainda é-me difícil escrever, visitar os vossos espaços, ler... Devagar renascerei.

    Até já!

06
Out18

A série Élite - problemas de identidade, sexo e...

por P. P.

 

Netflix-Elite

 

 

 

 

   Ontem, pela Netflix, estreou a segunda produção espanhola desta produtora, Elite. Em oito episódios, com atores de A Casa de PapelMaría PedrazaMiguel Herrán e Jaime Lorente, ao trio junta-se Itzan EscamillaMiguel BernardeauArón PiperEster Expósito ou Mina El Hammani. A série foi criada por Darío Madrona e Carlos Montero .

 

   Em Elite encontramos pontos comuns a Por 13 Razões . Insere-se na categoria de thriller para adolescentes/ jovens adultos, com classificação "para maiores de 13 anos".

 

   Após um terramoto ter destruído uma Escola pública, os alunos são distribuídos por outras. A uma privada, de elite, chamada Las encinas, chegam 3 rapazes e uma rapariga, de classes média-baixa. O choque logo se faz sentir. Por muitos, estes são encarados como uma praga. É então que tudo gira em torno de um assassinato e na procura do assassino. O que somos capazes de fazer para sermos aceites pela elite?

 

   Nesta série são abordadas questões tais como a xenofobia, as minorias religiosas e culturais, a homossexualidade e o islamismo, o consumo de drogas, o sexo a três, a corrupção, o mundo da falta de afetos, a vida precária dos professores e o que as redes sociais podem dizer a nosso respeito. 

 

   Com magníficas representações e banda sonora, Elite tem algo de "americano". Aliás, apesar da ação decorrer numa Escola Secundária, no nosso contexto tal aplica-se, sobretudo, à faculdade. Comparativamente a outras séries que vi, pouco traz de novo para reflexão e aprendizagem. O final é, a meu ver, fantástico, deixando em aberto uma próxima temporada.

 

 

09
Set18

Em Banda Larga, os destaques do Sapo Blogs contra os professores

por P. P.

domino-665547_1920

 

 

 

 

   Há muito registei o meu descontentamento para com o sistema de destaques da equipa Sapo Blogs, como pode ler aqui. Desde então, deixei de obter resposta a qualquer correio eletrónico que lhes enviei, desde o endereço deste blogue ou do pessoal. Também alguns elementos que comentavam no Insensato, antes do sucedido, parte integrante dos bloguistas preferidos da equipa, deixaram de o fazer. Mas estes não importam. Recorri ao Portal da Queixa, como pode verificar. Também qualquer tentativa de interação com o P.N., aquele que normalmente dá "a cara" pela equipa citada, não surtiu qualquer efeito. Procurei fazê-lo no blogue da Maria Araújo, nos comentários de uma das suas publicações, como pode verificar de seguida.

 

A não resposta do PN

 

 

   A promoção de publicações contra os professores, com falta de argumentação e evidências, levadas a cabo por um dos autores do blogue Banda Larga continuam a merecer destaque na página inicial do portal de todos os portugueses, o Sapo. A equipa Sapo Blogs continua a revelar falta de democracia, sem destacar artigos que apresentem outros pontos de vista em relação a um mesmo assunto, sobretudo em questões que impliquem o corpo docente. A aversão aos professores parece evidente.

 

   Destaco os posts, As Baixas Fraudulentas dos Professores e A Factura dos Professores não é Sustentável, ambos de Luís Moreira. É certo que nada escrevi a este respeito. No início de um ano letivo, com tanta legislação e medidas a aplicar, não sobra tempo para alimentar histerismos gerados pelo vazio noticioso em redor dos nossos media. Se as baixas são ou foram fraudulentas, o que impediu/impede de as denunciarem? Também os médicos, outra classe pouco amada pela nossa sociedade, são corruptos? É difícil entender que numa classe envelhecida, o número de situações de doença é maior, como consequência, inclusive, de um processo natural? Relativamente à questão da "fatura" dos professores, já me pronunciei num artigo anterior. Tenho 21 anos de serviço e não 11, lutei por uma boa média de curso, fui além da licenciatura, lecionei em Escolas, na altura, abnegadas por muitos, dadas as condições climatéricas das regiões. Pouco me importa a "retificação" dos vencimentos. Quero o tempo real de serviço e nada mais. Mas esta é a minha opinião, não a de outros colegas que tenho de respeitar. 

 

   Entretanto, é impossível não manifestar o meu crescente repúdio junto desta equipa, aquela que devia e podia alimentar a maior comunidade de blogues em língua portuguesa. Continuarei a lutar por justiça. 

 

SAPO BLOGS respeito pelos professores by PP

 

 

 

23
Ago18

A Série Penny Dreadful - o regresso dos clássicos do mundo do terror

por P. P.

penny_dreadful_cast_h_2016

 

      Penny Dreadful (2014-2016) é uma série de terror e fantasia, em 3 temporadas, coproduzida entre a Showtime e a Sky UK, já transmitida no nosso país pelo canal premium TV Séries (The House of HBO). O título refere-se aos Penny Dreadfuls, publicações de ficção e terror, com o custo de 1 cent, vendidas na Inglaterra do século XIX. Eram apelidas por "centavos do terror". 

 

      As 3 temporadas disponibilizadas pela Netflix fazem uma ligação entre as histórias clássicas de Drácula, Frankenstein, Dorian Gray,... Personagens que se cruzam, num discurso muito bem construído, com representações excelentes. A 1.ª temporada remeteu-me para O Exorcista, na sua versão original, sem padres aliciados pela prática. Os figurinos, os efeitos especiais e o som da série são outras mais valias. 

 

      Neste convite ao mundo intermediário, definido como estando entre o da nossa realidade e o dos mortos, contamos com a prestação de atores como Timothy Dalton, a deslumbrante Eva GreenRory Kinnear e muitos outros. 

 

      Pessoalmente, considero a 1.ª temporada melhor do que a 2.ª, pela dinâmica e enquadramento. Relativamente à 3.ª irei dar início à respetiva visualização de seguida. Acompanha-me?

 

Veja os trailers.

22
Ago18

As Escolas e as Autarquias

por P. P.

  

geometry-1044090_1920.jpg

 

 

 

   No passado dia 16 foi publicada a Lei 50 de 2018. Nela é feita a transferência de competências para as autarquias locais e para as entidades intermunicipais, tendo por base a concretização dos princípios da subsidiariedade, da descentralização administrativa e da autonomia do poder local.

 

   Esta descentralização, além de repentina, lançada em pleno mês de agosto, parece-me contribuir para eventuais desigualdades, em função da valorização da Educação, por parte das Autarquias. A Educação também é feita com base no recurso de materiais essenciais facilitadores e motivadores do processo de ensino/aprendizagem; por exemplo. Por outro lado, a pouco e pouco, num país que tem vindo a revelar-se cada vez mais corrupto, caminhamos rumo a um maior número de "padrinhos", "lambe-botas" e da bajulação. Perseguições políticas e/ou de mentalidades adivinham-se. 

 

Confira a Lei em causa.

16
Ago18

60 anos de Madonna em música

por P. P.

 

Madonna split

 

 

   A deusa da POP, infelizmente, não escapou ao tempo. Porém, para nosso jubilo, mantém-se viva e recomenda-se, o que já não acontece com o deus deste estilo musical.

Ainda recordo quando cada novo êxito da artista fazia-me vibrar. E a todos os vidros existentes por casa.

Sempre provocante, à frente dos tempos e sem preconceitos. Para não frisar os tão conhecidos Live to Tell ou Like a Virgin, destaco Open your Heart, cujo videoclipe foi dirigido por Jean-Baptiste Mondino.

 

 

Ainda na senda dos temas menos conhecidos e que tanto tocaram a minha alma, um videoclipe pouco divulgado e cujo original é difícil encontrar, com algumas batidas "idênticas" a La Isla Bonita, Spanish Eyes.

 

 

 Para quem sabe o que são os conflitos com a imagem paternal, e com a direção de David Flinch, Oh FatherÉ também o momento de recordar o velhinho Papa Don't Preach.

 

 

 

   Na idade de questionar a religião, e uma vez que os santos são construídos à imagem de uma figura humana, nada como Like a Prayer. Naqueles tempos, o meu padrinho tinha pedido a um escultor que fizesse uma santa para a capela da quinta. A obra inicial foi rejeitada, uma vez que o rosto da santa era... o da esposa do artista. Pode um "santo" adquirir vida, no desejo de uma oração? É pecado, dizem. Até o Padre devorava algumas senhoras de bem, tão bem casadas.

Dura adolescência!

 

 

Dando um salto no meu percurso, já no ensino superior as memórias de um passado perdido, This Used to be my Playgroud.

 

 

Tempos da lágrima dolente, que queima enquanto esboça o seu percurso, no rosto de quem o perdeu. You'll See!

 

Só a chuva é capaz de lavar uma alma que sofre em silêncio, sem poder libertar-se das amarras de uma sociedade dúbia. Tempos de Rain. E no desejo, Justify my Love

As minhas noites, longe de...

 

 

 

Primeiro ano de serviço, primeiras perdas familiares.

A irreverência do "não". Afinal, trata-se de Frozen

 

 

Dos seus mais belos temas e pouco conhecido, à semelhança do meu coração de então e dos sentires que se seguiram, Gone.

 

 A verdade não deve advir neste meu/teu Substitute for Love.

 

 

Se há um "sonho americano" conheçamos American Life.

 

 

Esta lista podia continuar. Infelizmente, muitos dos tele-discos aqui deixados desaparecerão, dadas as diretrizes do YouTube, muitas das quais nunca entendi.

Happy B Day, Madonna.

Para refletirmos no nosso quotidiano,  Ray of Life.

 

 

É tempo de pensar no amor...

 

A ler Madonna at 60: A colourful career in pictures

 

FB_IMG_15345029484064109.jpg

 

 

16
Ago18

Aretha Franklin (1942-2018)

por P. P.

Aretha Franklin

 

 

Aretha Franklin possuía uma das vozes mais distintas e influentes na história da música "popular".

Numa carreira de 50 anos, acumulou 20 álbuns Top 10, 12 milhões de vendas de singles e ganhou 18 prémios Grammy.

Um artista de imensa versatilidade, com uma voz poderosa, treinada nas igrejas de Gospel, mudou-se para abraçar o jazz, soul e rhythm and blues. A revista Rolling Stone classifica-a como a melhor cantora de todos os tempos.

 

RIP

 

Por forma a demonstrar a sua versatilidade, um dueto com outra estrela que já partiu.

 

 

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sussure-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Wook