Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

A quarta temporada de As Telefonistas

Agosto 14, 2019

P. P.

As Telefonistas - temporada 4

 

No passado dia 9, na plataforma Netflix, foi lançada a 4.ª temporada da série espanhola As Telefonistas. Já aqui escrevi a respeito da 1.ª temporada, da 2.ªtemporada e da 3.ª temporada.

 

Em 8 episódios, as quatro amigas lutam pelos seus direitos, na cidade de Madrid, em 1931, durante o período da Segunda República Espanhola, marcado pelo fim da Monarquia e o advento de muitas mudanças para as mulheres.


O argumento mantém-se consistente, conferindo verdade às suas personagens. Histórias de amor cruzam-se com o crime e a transexualidade, sem esquecer a história da época, durante a qual, o enforcamento ainda era permitido e o divórcio passou a ser possível.

Um dos principais focos da temporada gira em torno de Carlota, que continuará a sua luta pela igualdade e reconhecimento das diferenças, candidatando-se ao cargo de presidente da Câmara da cidade. Como seu adversário, Gregorio Díaz, que aparecerá morto após chantageá-la, numa situação que a torna na principal suspeita.

Enquanto isso, Francisco Gómez está internado, em estado grave, após ter levado um tiro quando tentava salvar Eva, filha de sua grande paixão, Lídia Aguilar, com Carlos Cifuentes. Este é um dos elos que dá resposta ao misterioso final da 3.ª temporada. Conseguirá Francisco sair do coma, por forma a dar continuidade à história de amor?


Destas 4 amigas, Ángeles tem um final inesperado alimentando a probabilidade de uma 5.ª temporada. Refira-se que a atriz que dá vida a esta personagem é a personagem principal de Vis à Vis.

Como pontos fortes desta obra temos: a cenografia, os figurinos, a luz, o argumento, as interpretações e a contextualização histórica. Veja o trailer aqui .

Não tenha medo e aventure-se

Typewritter

Agosto 07, 2019

P. P.

Typewritter.

 

 

Typewritter é uma minissérie indiana, em 5 episódios, na Netflix. Terror e aventura fazem parte desta obra, lançada em 19 de julho. Enquanto a vi, muitas vezes pensei “Que pena não ter 12 anos. Iria gostar ainda mais!


Um livro escrito no passado, uma casa assombrada, uma máquina de escrever... Acrescem 3 crianças e um cão, cheios de energia e vontade para derrotar o espírito mau, que quer dominar o mundo e está escondido... (não posso dizer!) Pelo caminho, algum sangue a brotar dos olhos e da boca de alguns traidores, do espírito, claro está, ou alguns (poucos) corações tirados do corpo. Viciante! Se quiser, veja o trailer e saiba mais acerca da história aqui.

Big Litlle Lies - a série e as músicas

Julho 26, 2019

P. P.

Big Little Lies, nas suas 2 temporadas, uma de 2017 e a outra de 2019, é uma das minhas séries preferidas. Baseada no livro Top de vendas de Liane Moriarty's e interpretada por Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley, Zoe Kravitz, Meryl Streep (esta apenas na segunda temporada); entre outros.

A história é cativante, assentando numa mentira partilhada entre  4 mulheres, todas elas diferentes, mães e batalhadoras. Um assassinato, num enredo tão bem construído que, na 1.ª temporada, nos induz em erro, a respeito de quem morreu. Na 2.ª temporada, o depois, os traumas e consequências, com um voto de silêncio que não se sabe se encerrado, embora de forma consensual, ao som de Have You Ever Seen the Rain. De salientar o maravilhoso elenco infantil, a qualidade das representações, o argumento, a luz e a contextualização da banda sonora nas cenas. Ainda uma Nicole Kidman que encanta e surpreende.

No passado dia 20, na HBO, terminou a segunda temporada. Fiquei com "água na boca", desejando ainda mais e mais. Não me tinha apercebido do quanto as personagens fizeram parte da minha vida, marcando as segundas-feiras, dia do lançamento de um novo episódio. Contudo, o final dividiu o público e críticos. Uns desejosos por uma 3.ª temporada, outros que consideraram inútil esta 2.ª temporada. Não faço parte destes últimos, até porque encontrei diversos pontos de reflexão na última temporada. Os argumentos e pareceres pode ler, nos artigos Big Little Lies: Fim da Segunda Temporada e Meryl Streep não Chegou para Salvar a Segunda Temporada de Big Litlle Lies; tendo em conta que ambos fazem algumas revelações muito detalhadas da  história (spoilers).

Escutemos, num ambiente tranquilo e/ou romântico, durante uma conversa, a leitura de um livro ou de num processo de auto-conhecimento, a banda sonora, que convosco compartilho.

Não deixem de comentá-la.

 

 

A 3.ª parte de A Casa de Papel

Julho 19, 2019

P. P.

 

Hoje, na NETFLIX foram lançados os 8 episódios da terceira parte de A Casa de Papel. O resumo que antecede o 1.º episódio, desta nova temporada, permite-nos “tomar o fio à meada”.

Casa de Papel 3

 

Cenários luxuosos e alguma ação fazem-nos recordar alguns filmes de 007. Entretanto, aos poucos, as novas personagens são dadas a conhecer. Desta vez, com o nome da nossa capital, Lisboa é aquela que, por seguir o coração, passou do lado da justiça para o da equipa de O Professor. Ela é a antiga agente de investigação policial, nas sessões anteriores. Entre outros, passaremos a conhecer o cérebro que esteve na génese do 1.º assalto praticado, entre outros. Ou seja, Palermo (Rodrigo de la Serna), Marsella (Luka Peroš), Bogotá (Hovik Keuchkerian), Alicia Sierra (Najwa Nimri) e Tamayo (Fernando Cayo) são os reforços desta nova etapa.

Esta temporada é mais do que um assalto. As personagens sofrem uma evolução e o espírito de grupo é um lema. Rio foi preso e a equipa começa por reunir-se no intuito de libertá-lo. No que ao assalto diz respeito, esse terá que ser grandioso. A resistência não admite que interfiram com os seus...

 

Quais são as suas expetativas para com esta nova temporada de La Casa de Papel?

A série Trust Me da BBC na HBO

Julho 12, 2019

P. P.

Trust me é uma série dramática-médica, em 2 temporadas de 4 episódios cada, disponibilizada na HBO Portugal, produzida pela BBC.

Com a qualidade a que a BBC nos habituou, as histórias das duas temporadas são diferentes, mas com denominadores comuns: o ambiente nos hospitais, o relacionamento entre profissionais da saúde, a mentira e as causas dos erros médicos. Uma série muito recomendada, dadas as componentes humana e de mistério.

Na 1.ª temporada deparamo-nos com uma enfermeira que, ao denunciar algumas práticas médicas dúbias, no serviço de urgências, acaba por ser despedida. Numa tentativa de sobrevivência, decide apoderar-se dos dados da melhor amiga, tais como o nome, profissão (médica) e currículo. O seu desempenho como médica é excelente, mas as práticas clínicas de grande parte dos colegas e as urgências, num espírito defensor da “verdade” pode não surtir o efeito desejado…

Trust Me - S1

 

Com esta temporada, podemos melhor compreender a realidade dos nossos médicos, do serviço de saúde, as causas de eventuais erros médicos, … Veja o trailer.

 

Já o início da 2.ª temporada decorre num cenário de guerra. Os traumas dos ex-combatentes, as causas do número crescente de mortes num hospital, a perspetiva do sistema de saúde perante aqueles que apresentem doença mental – depressão, ansiedade … - e as amizades perigosas, entre as chefias, são evidenciados durante os 4 episódios, repletos de mistério.

Trust Me - S2

A empatia de uma jovem médica junto dos doentes e enfermeiros, com sinais de depressão, gera algum desconforto por parte de alguns dos seus pares. Quando ela descobre, com a ajuda do ex-combatente, um padrão comum nas mortes ocorridas na urgência do hospital, a sua vida corre perigo, assim como a do ex-combatente, entretanto paraplégico. A não perder, como pode ver no trailer.

Euphoria - a série que retrata a vida de muitos dos nossos jovens

Junho 25, 2019

P. P.

euphoria

 

Na semana passada, na HBO Portugal, foi lançado o 1.º episódio da série Euphoria (veja o trailer). A cada segunda-feira, um novo episódio. Hoje vi o segundo. Uma série sobre droga, sexo e violência (sem esquecer a virtual), para maiores de 18 anos, sem falsos pudores e bem realista, destinada a um público adolescente. Nos EUA, já foi pedido o seu cancelamento, como pode ler aqui.

Assim, como a classificação etária refere, ela deve ser vista por adultos. Na verdade, considero-a excelente para os pais e para que estes se façam acompanhar dos seus filhos, debatendo as temáticas.  A intensidade das situações e a forma como são retratadas estão muito mais consistentes do que em Por 13 Razões - 13 Reasons Why  -, através de cenas realistas, bem interpretadas e ousadas. O ideal para os pais que vêem os filhos como anjos. 

Uma juventude que pouco ou nada lutou para alcançar objetivos e metas que nunca definiram. O mundo da droga tal como ele é. Em ambos os episódios, senti a minha geração e parte do meu grupo, agradecendo por nunca ter-me sentido motivado para tal dependência. Na verdade, os temas são, em parte, baseados na própria batalha com a droga do seu criador, Sam Levinson. É impossível ficar indiferente aos momentos de ressaca, há necessidade da dose diária por parte dos toxicodependentes. Para quem está habituado à exploração da nudez feminina, também neste aspeto Euphoria pauta pela diferença: no 1.º episódio é bem evidente uma ereção e no 2.º, uma cena de balneário que mostra muitas e muitas serpentes (como alguém disse).

De referir que muitos dos aspetos relacionados com as nudes, sexo virtual e as novas tecnologias devem servir de aprendizagem/reflexão aos mais velhos, uma realidade ainda muito atual.

Nesta obra, tal como acontece nos nossos dias, muitas são as vezes em que os rapazes pedem para conversar, enquanto elas exigem sexo. Evidência de que o desejo sexual feminino é superior ao dos homens?

 

Série Chernobyl - uma realidade tão recente

Junho 21, 2019

P. P.

Chernobyl

 

Num ambiente deprimente, assistimos a alguém que não consegue viver com o passado. No limite, enforca-se. Assim, surge, em silêncio, o nome da minissérie, em 5 episódios, Chernobyl da HBO.


Ao viajarmos até à 2.ª metade dos anos 80, concretamente 1986, na Ucrânia, são-nos dados pormenores acerca de um acidente, consequência de mentiras, na central nuclear de Chernobil. Dados realistas com alguma ficção, por forma a enriquecê-la. Cenas com diálogos longos e credíveis, como se de um documentário se tratasse. Um acontecimento ainda tão recente e com consequências assoladoras para o mundo. Afinal, como referido, trata-se de um processo que envolveu radioatividade letal para os seres vivos, encontrada ainda hoje, até nos não vivos.


Do argumento, enquanto o mundo lamenta o ocorrido, o cientista Valery Legasov (Jared Harris), a física Ulana Khomyuk (Emily Watson) e o vice-presidente do Conselho de Ministros Boris Shcherbina (Stellan Skarsgård) tentam descobrir as causas do acidente. Nos seus 3.º e 4.º episódios, a realidade dura e crua é-nos finalmente apresentada. Considero que as imagens em questão deveriam ser mais chocantes e traumatizantes, no intuito de alertar para os perigos de uma guerra nuclear. Por outro lado, deste modo, continuaria a não fugir à realidade.


Tenho dificuldade em compreender o anseio de muitos em visitar Chernobil após o lançamento da série. Talvez por não ter ficado evidente, nem de forma marcante, que a radioatividade ainda está presente, as suas consequências nos embriões, nos solos, nos organismos…. Pelo exposto, a série peca, não obstante seja grandiosa enquanto memória e documento histórico.

Veja o trailer.

A série Special - uma abordagem diferente à Paralisia Cerebral

Abril 22, 2019

P. P.

Special - Season 1

 

      Na sua 1.ª temporada, lançada a 12 de abril deste ano, com 8 episódios de apróximadamente 15 minutos/cada, Special é uma série de humor, baseada no livro semiautobiográfico I’m Special: And Other Lies We Tell Ourselves (O’Connell, Ryan : 2015). Além de autor, Ryan é também o ator principal, autor, produtor e roteirista.

     Portador de paralisia cerebral (PC), num grau entre o leve e o moderado, Ryan revela competências no seu comportamento adaptativo, socialização e mentais. Homossexual, a sua principal dificuldade está em aceitar a sua deficiência.

      Temas pertinentes e pouco usuais norteiam a série: a sexualidade na deficiência, a auto-aceitação, os outros e a deficiência, as mães/cuidadoras,... Ingredientes suficientes para "espreitar" este momento, cujo trailer encontra aqui. Uma série não recomendada a xenóbofos, racistas e todo um conjunto de atributos que resumo à primeira por mim mencionada.

Mais sobre mim

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D