Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

15
Mar19

Aquele juiz. Sim, o tal!


por P. P.

    Aquele que deveria envergonhar-se dos seus atos, de não saber fazer citações da Bíblia,  que não representa o espírito de muitos de nós, homens (gajos, se assim quiserem), muito menos respeita as mulheres e os afetos, capaz de envergonhar a justiça deste país, ... Agora, uma vez mais, num tom de quem não tem capacidade para refletir a respeito do seu Eu, recorreu da advertência. Ou seja, há um séquito...

 

O tal juíz by Facetoons

Fonte da imagem : Facetoons

02
Mar19

Metodologia negocial estruturada em estilo mete-náusea


por P. P.

Metodologia negocial estruturada by Facetoons

Fonte - Facetoons

 

Eu só peço o tempo de serviço contabilizado para efeitos de reforma... Ou que fossemos colocados no devido escalão, reajustando-se os aspetos monetários quando possível.

E se todos, independentemente da profissão déssemos voz à ideologia de A mesma conversa, mas ao contrário?

 

23
Fev19

Quando a resposta à violência doméstica gera humor - Lorena


por P. P.

Lorena

 

      Em 1993, após outra noite de agressão por parte do marido, nos EUA, Lorena Bobbitt foi à cozinha, durante a noite, enquanto este dormia embriagado e pegou numa faca. Com esta, cortou os genitais de John Bobbitt. Chamados os órgãos idóneos, iniciou-se uma busca ao pénis perdido, lançado em algum lado, uma vez que, ela não se lembrava do que tinha feito. Até que algo a fez com que se recordasse de um campo, no qual um polícia, muito religioso, acabou por pisar o "instrumento", dizendo, com algum constrangimento à sua equipa "Está aqui!". Munidos dos materiais necessários, conseguiram levar atempadamente o membro do John, até à clínica de um cirurgião que, pela primeira vez, levou a cabo um implante.

 

    Este caso tornou-se mediático e deu origem a vários programas de sátira. Naqueles tempos, questionou-se o que seria mais importante: a vida ou um pénis. Na generalidade, pelo que vi e ouvi, a maioria dos homens, defendeu "o pénis". Este caso encontra-se documentado na Amazon Prime Video, no documentário Lorena. Caso pretenda assistir ao trailer basta seguir a seguinte hiperligação, aqui

 

    Graças à participação em diferentes programas e a todo o mediatismo, afinal era o "homem", de que ainda me recordo, em 1996, depois de mandar aumentar e engrossar o "instrumento" já funcional, John participou num filme pornográfico Frankenpenis. O que maior receita gerou naquele ano. 

 

    Do julgamento, ambos foram absolvidos. 

Se quiser saber um pouco mais acerca de A história dramática da castração que chocou (e divertiu) o mundo, basta aceder à hiperligação aqui partilhada.

 

    Antes de cortar, pense duas vezes. Já não estamos nos anos 90 e é de extrema importância que, perante a 1.ª agressão, a vítima demarque a sua posição. Denunciar não pode ser esquecido. Independentemente do género.

 

31
Jan19

Sex Education - o humor deambula pelos problemas da sexualidade


por P. P.

Sex-Education

 

    A comédia dramática Sex Education, da Netflix, que estreou a 11 de Janeiro, e que é da autoria de Laurie Nunn, retrata a vida de Otis Milburn, interpretado por Asa Butterfield. Ele, que é filho de um casal de terapeutas sexuais que se divorciaram recentemente, vive com a sua mãe, Jean (Gillian Anderson, a eterna Scully de a série “The X-Files”) cresceu a ouvir em casa, e às escondidas, as consultas da sua progenitora com os seus pacientes.

 

   Otis Milburn é um adolescente, naquela fase em que todos os jovens começam a pensar no início da sua atividade sexual, e Jean é uma terapeuta sexual, que fala abertamente com o seu filho sobre o tema, seria de esperar que Otis fosse mente aberta relativamente ao assunto. Na teoria até é, mas na prática …. No entanto, as coisas mudam de figura quando Otis conhece Maeve, papel interpretado por Emma Mackey.

 

    Em oito episódios, com uma excelente dose de humor, são abordadas temáticas da nossa adolescência e da dos outros. Algumas problemáticas referentes à sexualidade podem deixar o espetador "espantado", dado nunca ter pensado na existência das mesmas. Assim sendo, entre outros, são abordados temas como:

- os problemas, durante o coito, dos homens (rapazes) com o pénis grande;

- a dificuldade de alguns em tocarem nos seus genitais, considerando-os "nojentos";

- a virgindade de hetero e homossexuais;

- as atitudes adotadas por forma a integrar um grupo;

- os comportamentos entre grupos e a frieza que muitas vezes adotamos, durante esta etapa;

- o crescimento dos adolescentes, sem a presença dos pais;

- o reflexo dos pais nos filhos, obrigando-os à prática de atividades que não são do agrado deles;

- a masturbação;

- o sofrimento daqueles(as) que não se encontram ao mesmo nível de maturação sexual que a dos seus pares;

- as consequências, a longo prazo, de quando se assiste à cópula de um progenitor com outra pessoa;

- etc.

 

    Ingredientes mais do que suficientes para pais, adolescentes, professores e psicólogos, numa série bem contextualizada, com sequência, interpretações e roteiro muito bons e uma banda sonora, também ela magnífica, a qual acenta em músicas dos anos 80. A ver

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sussure-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Wook

banner skyscrapper 50% viver melhor