Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

19
Dez17

A Nu - o Fotógrafo Paulo Madeira


por P. P.

   Paulo Madeira (P.M.) é um fotógrafo português que prima pela ousadia nas suas produções. Ao seu olhar, um falo pode adquirir uma dimensão artística significativa.

Pessoalmente, adoro os seus trabalhos a P&B. Uma das suas galerias está disponível, online, aqui.

 

Vamos conhecê-lo melhor?

Preparem-se para, além de conhecer o fotógrafo, aprender.

 

Fotógrafo Paulo Madeira

 

 

 

 

P.P.: — Quem é o fotógrafo Paulo Madeira?


P.M.: —
A luz é por defeito o agente primordial do universo visual, dela dependem todos os mecanismos de ver e de olhar...Por vezes, as relações presentes no meu trabalho, passam particularmente pelo registo do tempo num processo criativo, descobrindo a beleza do corpo humano e os seus gestos eróticos nas suas sombras mais subtis, desde a intimidade silenciosa, meditação até ao desejo confessado e dedicação sem limites!
Tenho 39, sou de Alcobaça e sempre fui um apaixonado por fotografia, aliás tudo o que esteja relacionado com as artes eu tenho um certo jeito! Fiz ballet clássico e contemporâneo, mas, foi na fotografia que expressei mais a minha veia artística, transpondo por norma, personagens criadas por mim ou imaginadas, nas pessoas que fotografo. Sou uma pessoa igual a muitas outras, em que a criatividade parece fluir sem ter fim!

 

De Paulo Madeira

 

P.P.: — Quais são os tipos de trabalhos que preferes realizar?

P.M.: — Dentro de muita coisa, possível e imaginária que se possa fotografar, é nas pessoas que a minha veia artística mais se nota. Particularmente nos retratos! Fazer um bom retrato é quase que absorver a alma da pessoa e transpô-la para a fotografia.

 

Retrato por Paulo Madeira

 

P.P.: — Regra geral, o corpo da mulher é mais fotografado do que o do homem. Alguns autores defendem a beleza nas simetrias, outros a harmonia num só corpo. A tua fotografia incide sobretudo em modelos masculinos. Que aspetos valorizas no corpo do homem como veículo artístico?

P.M.: — Penso que tanto no Homem, como na Mulher o veículo artístico é o mesmo, a sensualidade, o olhar, a forma do corpo, seja ele magro, gordo ou definido… O olhar é que manda e é ele que transmite para a fotografia a sensualidade da imagem que vemos. Muitas vezes fotografamos Homens com corpos esculturais e depois não conseguem expressar sensualidade com o olhar, logo poucas fotos se conseguem aproveitar, porque o bolo é um todo, como a fotografia é feita com luz e sombra!

 

Fotografia de Paulo Madeira

 

 

P.P.: — Enquanto artista, quais são as dificuldades com que te deparas?

P.M.: — Grande parte das pessoas que fotografo, são pessoas amadoras, que vem fazer fotografia porque o amigo também veio e ficou bem, ou porque gostam do meu trabalho e querem experimentar e assim ficam com fotografia de qualidade! Um dos problemas que encontro é esse mesmo, é ter de ser eu a montar o boneco todo, desde a escolha das roupas, dar um toque no cabelo, make up, direcionar o modelo para conseguir os melhores ângulos, faze-lo rir, chorar, gritar, corar…deitar cá para fora tudo aquilo que eu quero registar! E nem por vezes é fácil.

Depois, outro problema com que me deparo, é que por mais que divulgues os trabalhos, ainda há quem pense que fazemos fotografia para passar o tempo, e que não tem custos! Hoje em dia, a oferta fotográfica é enorme, e cada vez menos as pessoas gastam dinheiro para vir fazer sessões de fotos!

 

Fotografia de Paulo Madeira

 

P.P.: — Os Portugueses ainda revelam muitos complexos com a sua sexualidade?

P.M.: — Sim! Grande parte dos Portugueses não mostram aquilo que na verdade são. Aí está um outro problema! A falta de confiança em si mesmo, a afirmação…. Em não se darem a conhecer aos outros por causa da sociedade, da religião, credo,... sei lá. Muitos andam camuflados e vivem aterrorizados com medos disto e daquilo.

A fotografia como terapia nestes casos funciona, e através dela as pessoas mostram o que na vida real ou no mundo lá fora nunca vão mostrar. Fora isso, o Homem português continua a ser o mais inibido e a esconder algo que todos os homens têm igual. É nisso que são complexados, no tamanho de pénis: uns porque é grande, outros porque é pequeno.. Lá está, conhecem-se mal a eles próprios!

 

Fotografia de Paulo Madeira

 

Muito obrigado, Paulo pela colaboração e cedência das obras para o blogue.

 

Para finalizar, um slideshow com algumas obras deste excelente fotógrafo.

 

 

 

 

 

10
Out17

Entrevista ao Fotógrafo Paulo César, a Nu


por P. P.

   Paulo César é um dos principais fotógrafos portugueses responsável pela emancipação do homem no nosso país, antes designado por metrossexual. Ao seu olhar, sem pudores, a nudez masculina adquiriu beleza e ultrapassou fronteiras. Domínios antes só ao alcance das mulheres.

Vamos conhecê-lo melhor.

 

 

Paulo César - Foto cedida pelo autor

 

 

 

PP: — Quem é Paulo César?

Paulo César:  Um eterno insatisfeito. Em tudo dou o meu melhor e tento que as pessoas se superem. A fotografia é, desde sempre, uma das minhas paixões. Já foram inúmeras as exposições que fiz, algumas delas fora do país, publicações em livros, capas de CD, centenas de portfólios, etc.

A revista Online Sexy Magazine, projeto para o qual fui convidado para ser o fotógrafo principal e que de imediato aceitei, tinha a mais valia de ser a primeira, não apenas vocacionada para o desporto, a dar destaque ao homem. Depois de um interregno de muitos meses, devido a questões que nada têm a ver com a revista, vai regressar em breve. Desde já, convido todos os modelos e fotógrafos, profissionais ou amadores, com portfólios de nus e seminus, a enviarem os mesmos para sexymagazine.pt@gmail.com. As pessoas que se queiram propor a fazer sessão devem enviar algumas fotos para o mesmo e-mail

 

De Paulo César, cedida por PC

 

 

PP: — De que forma surgiu o interesse por fotografar a nudez masculina, quebrando barreiras e intervir em concursos, até então desconhecidos no nosso país, como o Mister Facebook ?

Paulo César: — Para que o nosso trabalho e paixão comecem a fazer parte do nosso dia a dia e do nosso trabalho não basta ser bom, não basta ter sorte, há que ser diferente, e o nu e a seminudez masculina não eram de facto regra, naqueles tempos, num país de falsos pudores e moralismos. O portal Olhares fez-me ver algumas das coisas que se faziam e bem por cá. Naqueles tempos, o único fotógrafo que fotografava o nu masculino e bem era o João Pedro Sousa do Porto, e eu quis ser um dos bons, um dos que mostrasse sem pudores e sem falsos moralismos o potencial de qualquer pessoa, para fotos sensuais, artísticas, e algumas até ousadas.

O concurso Miss & Mister Facebook Portugal foi o primeiro a aparecer online e à escala nacional, com eventos ao vivo e com Finais ao vivo. De lá saíram muitas participantes que fizeram carreira ao nível da imagem, outros melhoraram a autoestima, muitos fotógrafos criaram os seus portfólios e adquiriram experiência. Os concorrentes do nosso país chegaram a ser os vencedores internacionais do concurso.

 

De Paulo César. cedida por PC

 

 

PP: — Uma prova de fogo levou-te à escrita de uma sentida obra cheia de sentimento. O que nos podes dizer a respeito desse momento e produção?

Paulo César: — A vida está longe de ser linear, e por mais que se façam planos e definam metas, muitas vezes somos surpreendidos, nem sempre positivamente. Estes quase dois de pausa deram-me tempo para pensar muito para não pensar também, e tempo para reunir e escolher textos, e o meu primeiro livro " Vendedor de Lágrimas " foi editado o ano passado. 101 textos escritos desde 2001.

São reflexões e estados de espírito. Algo muito pessoal, com as pessoas a reverem-se em muitos dos textos. Acabo por ajudá-las em exercícios de introspeção, a não terem pudores em deixarem os sentimentos à flor da pele, a não terem problemas em se tornarem humanos, frágeis e sentimentais, mas com toda a garra e coragem para seguirem caminho

 

De Paulo César, cedida por PC

 

 

PP: — O teu recente projeto consiste em retomar/renascer a Sexy Magazine, por onde passaram muitos dos participantes dos Reality Shows. Quais são os teus objetivos a curto e longo prazo? Nesta revista, apenas há lugar para corpos dentro da norma?

Paulo César: — É curioso como ao longo dos anos quer no concurso Miss& Mister Fashion Beauty Portugal e na revista online Sexy Magazine estiveram pessoas que depois chegaram ao mundo  dos reality shows-

Quero que a revista online regresse, apesar de me dar imenso trabalho- Trata-se de um projeto que abracei e que hoje em dia é meu, o qual pretendo cada vez melhor. Conto com o apoio e colaboração de todos os que estejam disponíveis para tal- Espero, cada vez mais. portfólios de outros fotógrafos, modelos consagrados e de pessoas que queiram vir a ser modelos.  Quero que seja abrangente, plural e também sem pudores ao continuar a ter portfólios sem filtro.

 

De Paulo César. cedida pelo autor

 

 

Para finalizar, um pouco de sensualidade, na nossa galeria.

 

 

 

 

 

 

Muito obrigado pela colaboração e tempo despendido.

Sê sempre bem-vindo.

Este espaço é também teu!

08
Jul17

As capas das revistas Cristina


por P. P.

   É importante causar impacto e alertar a sociedade para a necessidade de uma novo postura, com comportamentos adequados e ajustados a quem é "diferente". Recorro às aspas, uma vez que, para mim, todos são iguais. O importante é construir um mundo melhor e disseminar toda a espécie de guerras. Infelizmente, a diferença ainda choca.

 

   Há muitos anos acompanho o trabalho de fotógrafos portugueses. O talento e a técnica são grandes. Para o tipo de fotografia utilizado, neste mês, na capa da Revista Cristina, destaco os trabalhos e talento de Paulo César e Paulo Casaca ( galeria no Instagram aqui), por exemplo. Seguramente, teriam sido bem mais originais ao apelar ao respeito pela diversidade e no impacto visual, não recorrendo a capas já vistas, como acontece entre a atual desta publicação e a de 8 de abril, de 2013, da Revista Time. Tire as suas conclusões.

 

Em abril de 2013 eram estas as capas da revista Time.

 

 

Capa da Revista Time em 8 de abril de 2013

 

Em julho de 2017 são assim as capas da revista Cristina

 

 

 

Capa revista Cristina - julho 17

 

   Lamentavelmente, apesar das semelhanças, passados 4 anos, a diferença ainda choca e impulsiona as vendas.

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sussure-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Wook

banner skyscrapper 50% viver melhor