Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião e entretenimento, no deambular entre pólos

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião e entretenimento, no deambular entre pólos

O Chapo (El Chapo) - o narcotraficante que um dia quis ser rico

El Chapo

 

 

 

   Nunca o narcotráfico foi tão falado e abordado pela 7.ª arte quanto nos nossos tempos.

Após o sucesso de Narcos, El Chapo (O Chapo) tem vindo a impor-se. No próximo dia 27, a Netflix lançará a 3.ª temporada desta série. Na verdade, as duas primeiras temporadas passaram-me desapercebidas, dado confundir o nome desta produção da americana Univision para a Netflix com o de uma outra, estilo novela, que também procura relatar alguns aspetos deste narcotraficante. Assim que comecei a ver os primeiros episódios da primeira temporada, o vício logo se instalou. 

 

   Baseada em factos reais, relatados pela imprensa de então, a vida de El Chapo é-nos descortinada com sequência, dinamismo, violência e uma certa dose de humanismo que nos faz torcer por ele, na luta entre cartéis e fações criminosas.

 

   De origem muito humilde, explorado pelo pai, em adolescente a nossa personagem partiu à procura de um cartel que o aceitasse. Posto à prova, matou um vizinho que carinhosamente lhe perguntou "O que queres a estas horas, Chapito?". A primeira temporada desta série (veja o trailer), assenta na forma como o criminoso é tratado numa prisão de alta segurança, até conseguir fugir. Constatei semelhanças com o filme O Expresso da Meia-noite, apesar dos contextos diferentes. Já na segunda temporada (veja o trailer), a conquista de novos territórios e a luta entre cartéis é a prioridade. É-nos dada a conhecer a realidade política e social do México, com níveis de corrupção inauditos. A sua produtora, Univision, como referi no início deste artigo, tem já preparada a terceira temporada, como pode ver através do trailer.

 

   Uma série a não perder!

6 comentários

Comentar post