Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

26
Nov17

Paisagens Deslumbrantes 2017 ou...

por P. P.

   Histórias de vida, sem encanto, mas com história.

Lugares de dádiva e de sofrimento.

As eternas antíteses.

 

Esta publicação é uma resposta ao desafio lançado pelo Sapo Blogs , com algumas das minhas piores fotografias, é certo, deste ano, por razões técnicas e emocionais, mas também pelos momentos que retratam. Todavia, são momentos que marcam (recuso-me a utilizar o passado) o ano e que não podem ser esquecidos. Todas elas em Santa Comba Dão, no distrito de Viseu.

 

 

IMG_20170901_Praia fluvial Senhora da Ribeira by PP

 Fotografia 1 - Olhar que mostra a acentuada descida das águas na Senhora da Ribeira, Santa Comba Dão, em setembro, como consequência da seca

 

 

IMG_20170908_Senhora da Ribeira by PP

 Fotografia 2 - Apesar da acentuada falta de água, parte daquela que "mata a sede" a 3 concelhos do interior, incluindo o de Viseu. Um olhar no qual, perante o excesso de luz, dada a hora do dia da fotografia, utilizei-a, de forma a acentuar a calamidade. Localização - Senhora da Ribeira/ Barregem da Agueira.

 

 

IMG_20171016_Incêndio de 15 e 16 de outubro em SCD by PP

Fotografia 3 -  15 de outubro à noite e 16 durante o dia. Sem que o meu telemóvel quisesse ligar. Neste caso, frente à minha casa, sem eletricidade, sem água e sem bombeiros (não por culpa destes, manifestamente insuficientes para toda a calamidade que se fez sentir). Um pedaço de inferno na Terra. Que haja luz para os que quase tudo ou tudo perderam e que as vítimas mortais descansem em paz. As políticas de prevenção aos incêndios mudarão no nosso país? Quando é que os verdadeiros criminosos serão castigados? Quantos são os interessados em tamanhas calamidades?

 

IMG_20171017_Chuva para quando by PP

 Fotografia 4 - Ao final do dia 17 de outubro, já com uma paisagem vestida de negro, os "céus" indicavam chuva. Consigo, a pouca pluviosidade que se fez sentir tornou o ar ainda mais pesado, a dor mais intensa e em nada facilitou os processos de luto por aquilo que um dia foi nosso. 

 

 

17
Out17

Pouco mais do que Olá

por P. P.

20171017_desvirtuado como a minha alma by PP

 

   A madrugada desta segunda foi assustadora. Fogo por tudo quanto era lado, numa povoação que, a certa altura, se viu sem eletricidade e sem água. Disto falarei quando finalmente tiver internet.

 

   Neste triste fado, entre chamas que se propagavam ao sabor do vento, e inusitados sons de algo que rebentava, em muitos pontos do país, os heróis foram o povo que lutou com bravura desmedida, independentemente da idade, classe social e tantos outros estigamas, sem apoio dos parcos meios dos Soldados da Paz, em número insuficiente para uma guerra desigual.

 

 

  Passadas 19h do pior dos cenários, por aqui, a eletricidade ainda falha, a rede e a internet móvel funcionam mal, não há sinal da linha do telefone nem da internet fixa.

Muito mais há de importante do que tais futilidades. O que antes era verde e azul, agora é azul e preto. Um azul fugaz já que o leito dos rios é pequeno.

 

   Além do meu abraço, deixo-vos o meu olhar às 19h de hoje.

Espero poder regressar em breve. 

 

   Entretanto, é tempo de acomodação e despedida. Despedida não só daqueles monumentos que fizeram parte da nossa história, assim como dos rostos que foram vencidos pelas chamas de um Inferno de Dante.

22
Ago17

Escolho o Centro de Portugal

por P. P.

   Escolho o Centro de Portugal é um filme destinado a promover o turismo no Centro do nosso país. Uma região do país tantas vezes esquecida e com tanto para descobrir aos níveis geomorfológico, termal, histórico e cultural. Entre outros, desta região fazem parte o centro histórico de Viseu, os vinhos, o Mosteiro da Batalha, os amores e saberes de Coimbra, a botânica e a história da Serra do Buçaco, a petrologia das Serras do Caramulo e da Estrela; esta última repleta de pormenores das diferentes áreas do saber, culturas, saberes e pormenores gastronómicos ímpares. Não podemos esquecer as poderosas fontes de geotermalismo, nem sempre devidamente exploradas e promovidas. Uma região única, tantas vezes abdicada pelos próprios habitantes viciados no turismo de massas, em que todos os caminhos do país levam-nos ao Algarve. São esquecidos lugares fabulosos da nossa costa, como Aveiro e Nazaré.

 

 

   Escolho o Centro de Portugal foi dedicado às vítimas do grande incêndio que deflagrou a 17 de junho deste ano, em Pedrógão Grande, que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos. A obra foi distinguida no 50º Festival Internacional de Filme e Vídeo, que se realizou em Los Angeles.

 

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Sussure-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Wook