Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião, crítica e entretenimento

O que Pouco ou Nada muda

O Direito das Crianças, na prática

Agosto 23, 2019

P. P.

Capa do DN desta semana

Muito se fala e escreve a respeito dos Direitos e Deveres das Crianças. Em muitos casos, de forma exagerada e algo impiedosa, para com aqueles que falharam num momento, por desconhecimento. 

Quantas "instituições" formadas, com CPCJ cujos elementos são escolhidos de acordo com critérios partidários, desprovidas de vontade e sensibilidade? Como estamos em Portugal, o importante é alimentar as aparências. Por outro lado, a forma como os seus integrantes são louvados, em meios pequenos: eles são as pessoas do bem, que se dedicam a causas complicadas. 

Perante este meu repúdio, conducente a 2 ameaças de morte, no meu passado, aspetos relevantes:  

a) em muitos casos, quem denuncia é dado a conhecer aos "agressores";

b) perante a intervenção, com ou sem assistentes sociais, numa tentativa de ganhar confiança, melhorando algumas das condições, do outro lado uma resposta suspeita;

c) e as palavras que ainda hoje guardo em mim: "Essas não são as suas funções. Para isso a Escola tem uma assistente social". De nada adiantou dizer: "Mas sou o DT e sempre tive facilidade em chegar ao mundo dos meus alunos. Já trabalhei com casos semelhantes."

 

Atinente a este caso, fazem sentido as palavras do Instituto de Apoio à Criança e Ministério da Educação. as quais pode ouvir aqui?

Leia + sobre este tema aqui.

O Burnout pode afetar os mais novos

Os nossos dias

Agosto 19, 2019

P. P.

pencil-2878764_1280

 

O artigo O Risco de Burnout em Crianças com Dificuldades de Aprendizagem e de Atenção de 15 de julho deste ano, não me passou despercebido. Um texto cuja leitura recomendo. De facto, e cada vez mais, "os alunos são sujeitos a níveis elevados de stresse ou frustração durante um longo período", fruto de: currículos desajustados, a ausência do "brincar", longos períodos na Escola, a ausência dos avós, a guerra entre pais separados que pensam em si e não no fruto do relacionamento, dificuldades e especificidades próprias do aprendiz, a idealização de perfis de alunos, por parte dos pais, acima das potencialidades do discente, a competição parva entre pais/encarregados de educação que a impõem aos seus filhos,...

Como é evidente, pelas situações discriminadas, não defendo que o Burnout possa abranger somente alunos com dificuldades específicas de/na aprendizagem. São muitas as causas da ansiedade, no atual sistema educativo, muitas vezes hostil. Nem aos professores é dado tempo para serem-no. Da Perturbação de  ansiedade ao burnout a linha pode ser ténue. Muito ténue...

Como é importante identificar sinais e sintomas de uma doença ou transtorno, passo a transcrever os referidos no artigo citado, referentes ao burnout em crianças e jovens, ao longo da escolaridade, sem deixar de, uma vez mais, alertar para a importância do "diagnóstico" ser efetuado por um profissional.

<<

1. Antes chegava a casa e, de imediato, fazia os trabalhos de casa. Agora já não. É preciso lembrá-la das responsabilidades. E mesmo assim ainda reclama.

2. Antes tinha energia, iniciativa própria para, por exemplo, contar à família, com detalhes, como tinha sido o seu dia na escola, agora já não. Tudo é “arrancado a ferros”. Mostra desmotivação e queixa-se de cansaço. A tristeza passa a ser uma constante.

3. Antes não fugia do convívio social. Agora isola-se. Inventa desculpas para não sair de casa e faltar, por exemplo, aos aniversários dos colegas de escola.

4. Antes era mais segura e confiante. Agora mostra ansiedade e até medo. Nas vésperas dos testes, por exemplo, chora ao estudar a matéria e as noites passaram a ser de insónias. Deixou de ter um sono de qualidade.

5. Antes tinha uma atitude positiva perante a vida. Agora questiona e critica tudo. Põe defeitos em coisas que sempre elogiou.

6. Antes estudava com determinação e os resultados eram melhores. Agora, não consegue manter os índices de concentração necessários para o estudo. Por exemplo, 10 minutos depois de ter iniciado a aula, já não consegue estar focada nas palavras do professor.

7. Antes não evidenciava sinais de impaciência. Agora, está permanentemente cansada, irritada, muitas vezes com coisas que nunca a incomodaram no passado.>>

 

O stresse e a ansiedade juvenis devem preocupar o Ministério da Educação?

Que ações pode/deve esta instituição levar a cabo, no intuito de não prejudicar a saúde mental daqueles que abrange? 

Controlar a ansiedade

Algumas sugestões

Agosto 18, 2019

P. P.

Controlar estados de ansiedade não é tarefa fácil. Trata-se de uma luta pessoal, repleta de barreiras, que exige perseverança e treino.

Do infograma seguinte, constam algumas sugestões para lutar contra a ansiedade e seus estados. As técnicas que funcionam com uma pessoa, podem não surtir efeitos com outra. Isto é, devemos descobrir aquelas com as quais nos identificamos. Pessoalmente, considero os exercícios respiratórios como parte integrante da meditação. Para o efeito, existem várias APP.

controlar a ansiedade

 

 

Também aqui a família tem um papel importante. Deve dar amor!

 

Quais são as estratégias que adotam ou incluiriam no esquema?

 

 

Sintomas da Ansiedade

Agosto 17, 2019

P. P.

A ansiedade envolve um conjunto de sintomas diversificado, capaz de iludir o mais incauto. Muitos dos sinais podem levar-nos a pensar em outras doenças/transtornos, "crises de adolescentes" ou fases da vida.

Em caso de dúvida, é impreterível consultar um técnico de saúde. O mesmo se aplica aos casos diagnosticados. Em casos avançados, este transtorno é limitante. Regra geral, a medicação não elimina ou trata o sujeito. É necessária uma mudança de comportamentos, técnicas de controle, alteração de hábitos, ...

Um psicólogo e/ou psiquiatra na nossa vida não significa "loucura", mas a vontade de vencer uma batalha.

sintomas da ansiedade

 

A quarta temporada de As Telefonistas

Agosto 14, 2019

P. P.

As Telefonistas - temporada 4

 

No passado dia 9, na plataforma Netflix, foi lançada a 4.ª temporada da série espanhola As Telefonistas. Já aqui escrevi a respeito da 1.ª temporada, da 2.ªtemporada e da 3.ª temporada.

 

Em 8 episódios, as quatro amigas lutam pelos seus direitos, na cidade de Madrid, em 1931, durante o período da Segunda República Espanhola, marcado pelo fim da Monarquia e o advento de muitas mudanças para as mulheres.


O argumento mantém-se consistente, conferindo verdade às suas personagens. Histórias de amor cruzam-se com o crime e a transexualidade, sem esquecer a história da época, durante a qual, o enforcamento ainda era permitido e o divórcio passou a ser possível.

Um dos principais focos da temporada gira em torno de Carlota, que continuará a sua luta pela igualdade e reconhecimento das diferenças, candidatando-se ao cargo de presidente da Câmara da cidade. Como seu adversário, Gregorio Díaz, que aparecerá morto após chantageá-la, numa situação que a torna na principal suspeita.

Enquanto isso, Francisco Gómez está internado, em estado grave, após ter levado um tiro quando tentava salvar Eva, filha de sua grande paixão, Lídia Aguilar, com Carlos Cifuentes. Este é um dos elos que dá resposta ao misterioso final da 3.ª temporada. Conseguirá Francisco sair do coma, por forma a dar continuidade à história de amor?


Destas 4 amigas, Ángeles tem um final inesperado alimentando a probabilidade de uma 5.ª temporada. Refira-se que a atriz que dá vida a esta personagem é a personagem principal de Vis à Vis.

Como pontos fortes desta obra temos: a cenografia, os figurinos, a luz, o argumento, as interpretações e a contextualização histórica. Veja o trailer aqui .

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Direitos

Ainda que procure uma utilização cautelosa e não abusiva de textos, imagens e sonoridades, poderá haver lugar à utilização indevida de obras objeto de direitos de autor. Contudo, apesar do recurso às hiperligações de origem, sempre que a legislação o implique ou seja devidamente informado, de imediato procederei a reajustes. Os textos e fotografias sem referência bibliográfica são da minha autoria.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D