Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós

Um novo plágio no Festival... da Eurovisão?

   

WTF_by PP

 

 

 

   Os compositores da canção Toy, vencedora neste ano da Eurovisão em Lisboa, receberam uma carta de aviso da editora Universal, relativa a alegadas semelhanças ao nível dos elementos rítmicos e harmónicos entre este tema e o maior êxito dos White Stripes, Seven Nation Army.

 

 

 

Pessoalmente, concordo com a observação da Universal, essencialmente no início do tema, até às "guitarradas", mas há limites. Os estilos de música e o público a que se destinam são diferentes.

 

 

O que vos parece?

Vivemos na época dos plágios ou já tudo se criou?

Não existem pessoas parecidas, não sendo as mesmas?

 

 

Por quem não esqueci

Ricardo Camacho

 

Ricardo Camacho (1954 – 2018)

 

   Produtor, compositor e teclista da Sétima Legião e ainda Médico que se dedicava à investigação da SIDA. Nasceu na ilha da Madeira. Morreu ontem, na Bélgica. Entregou-se hoje a um ‘A Um Deus Desconhecido’.

Fica sempre a obra, mas não chega porque dói.

 

 

Ricardo Camacho foi um dos importantes pilares da modernidade que a música portuguesa começou a desenhar na década de 80, quando, já em ambiente de total liberdade conquistada com o 25 de Abril, uma nova geração começou a sacudir a mentalidade “orgulhosamente só”, a assumir que as canções não estavam obrigadas a serem espaços doutrinários e que a pista de dança podia também ser um espaço de liberdade.

 

Extraído do Blitz, em 04/07/18

 

   Uma peça fundamental na carreira de António Variações, a sua intervenção fez-se também sentir junto a Manuela Moura Guedes, como autor de Foram Cardos, Foram Prosas e dos GNR. Um ano depois de Variações se estrear, Ricardo Camacho assegurou a produção de outro primeiro single, este a cargo dos Sétima Legião, Glória. Desta banda da minha infância e adolescência, na qual foi também músico, que destaco Por Quem Não Esqueci.

 

 

   A versão acústica deste tema na voz de Diogo Piçarra, aqui.

 

Na foto da capa desta publicação, A Sétima Legião nos anos 80. Ricardo Camacho é o terceiro a contar da direita - Arquivo BLITZ

Naquele Inverno, Naquele Inferno

 

monumento de homenagem aos combatentes do ultramar by PP

 Monumento de homenagem aos ex-combatentes na Guerra do Ultramar, Santa Comba Dão, por PP

 

   A Guerra do Ultramar é uns dos momentos que mais dificuldade tenho em compreender na nossa história. Jovens, muitos deles sem nunca terem saído das suas pequenas aldeias e meios rurais, viram-se condenados a uma viagem, para muitos sem retorno, para um Continente desconhecido, com diferentes culturas, hábitos... Jovens que nunca tinham utilizado uma arma e muito menos matado alguém para sobreviver. Jovens submetidos à lei da Selva cujos traumas persistiram (persistem) até ao último suspiro. 

   Recordo, do álbum de fotografias do meu pai, referente a esta fase, algumas sinalizadas com "aqui vi a morte". Adolescentes que pisaram minas e de um futuro promissor nada restou. Talvez a lágrima e o sufoco dos familiares. 

 

   Se a Guerra não teve sentido, o prémio recebido por representar a Pátria (qual?) foi ainda mais dúbio, nada, nem uma medalha de cortiça. Assim se apaga o passado e perpetuou a dor de muitos. 

 

   Um dos melhores temas e letras a respeito deste tema que conheço pertence aos Delfins. Aqui, deixo a interpretação original seguida da dos Resistência, ao vivo. 

 

 

 Uma homenagem a todos os nossos heróis esquecidos!

 

Fonte da capa, aqui

A letra 

 

Desafio - 10 objetivos para este Verão

TAG 10 coisas a fazer no verão

 

   Este é um dos desafios que mais dificuldades me oferece em responder. Ainda associo "verão" a "calor exuberante", o que odeio, e ainda paira em mim o medo de novos incêndios, como os de outubro. Só me apercebi de tal quando vi, pela primeira vez, este desafio no blogue da Célia. 

 

   Começo por agradecer esta nomeação à Carta, do blogue Uma Carta Fora do Baralho.

 

Este desafio consiste em fazer uma lista com 10 objetivos que pretendemos concretizar neste verão.

 

Regras

  1. Agradecer a quem o nomeou, fazendo uma hiperligação para o blogue em questão;
  2. Fazer a lista com os dez objetivos exequíveis que gostaria de alcançar neste verão;
  3. Nomear cinco bloguista a participar dele. 

 

10... tanta coisa para quem não gosta do verão!

  • Adaptar-me e treinar a condução no carro novo (que bom seria conseguir po-lo na garagem, mas já nem peço tanto);

entry.jpg

 

  • Manter a procura e a luta por um Eu saudável, com autoestima e defesas.

 

  • Fazer uma viagem com mais ou menos uma centena de Km, com a mãe, por forma a relaxarmos do nosso papel de cuidadores;

viajar-carro-outro-pais.jpg

 

  • Regressar ao ginásio e frequentá-lo pelo menos 2x/semana;

 

  • Retomar uma alimentação saudável, com menores quantidades;

 

  • Ver filmes e séries que me enriqueçam enquanto ser humano;

ga830215.jpg

 

  • Tentar ir à praia, algumas manhãs e libertar-me das roupas;

16548238_nzrm9

 

  • Ler e ouvir música;

 

  • Caminhar;

Tropeçar

 

  • Voltar a beber 1,5l de água por dia (mas eu retenho líquidos).

 

O que eu gostaria (esta parte não consta do desafio)

- Ter uma boa colocação no concurso interno de professores. (Duvido. Talvez aos 60 fique a 50km ou 80Km de casa)

- Encontrar um(a) amigo(a) que me estimule a sair e permita reviver uma nova e sólida Amizade.

 

   É chegado o momento de nomear bloguistas a dar continuidade ao desafio. Não irei sinalizar 10, uma vez que quem quiser e por lapso não tenha sido nomeado(a), encontre aqui a sua oportunidade. Temos então, a Marta, o Estúpido Aluga-se (um dos melhores blogues de humor, conjuntamente com o Papagaio e o Heterodoméstico), a Psicogata, a Sopa de Letras, o Caneca de Letras e a Nariz de Cera.

 

E ficamos em 4.º lugar, nos blogs mais comentados do dia ;=

Desafio 52 Semanas - Uma profissão de sonho

Desafio 52 semanas.jpeg

 Semana 26 - Uma profissão de sonho

 

   Sem dúvida que, caso não fosse professor, seria psicólogo. Aliás, esta é a área que devia ter seguido, o que já foi confirmado por especialista. Por que razão não o disseram na altura dos testes psicotécnicos e vocacionais, que tanto deixaram-me indeciso no percurso entre as ciências exatas e as humanidades?

Atualmente, há quem diga que devo estudar esta área, mas quando é que os professores têm tempo para um outro curso? Sobretudo, gosto de analisar e compreender comportamentos humanos. Explorar mentes subversivas, e por vezes hediondas. De dar a mão.

   De um ponto de vista materialista pertencer a uma classe social alta e apoiar os desfavorecidos, é atualmente um dos meus devaneios. Embora não seja apaixonado por dinheiro, e tenha outras prioridades, infelizmente este permite-nos impor, definir territórios e concretizar pequenos idílios, como viajar, ter acesso a bons médicos, "renovar-nos",... 

Idiossincrasias minhas!

 

blur-close-up-dew-1046159 - Photo by Arnesh Yadram from Pexels

 Photo by Arnesh Yadram from Pexels

 

   Neste desafio participam para além de mim, a 3ª face, a Ana, a Ana Paula, a Catarina, a Carlota, a Charneca em Flor, a Daniela, a Desarrumada, a Fátima, a Gorduchita, a Happy, a Hipster Chic, a Isabel, a Mãe A, a Mariana, a Maria Mocha, a Marquesa de Marvila, a Mimi, a Paula, a Sweetener, a Sofia, a Tatiana e a Tita

 

Visitem os respetivos espaços ou sigam "desafio 52 semanas".

 

 

 

 

Pág. 2/2