Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós...

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós...

Rodrigo Serrão - Filha da Lua

 

daughter-of-the-moon-2011167_960_720 @ Pixabay

 

 

Filha da Lua é um retrato: a passagem da noite a madrugada, uma história cantada se assim se quiser, sobre a necessidade universal de pequenos gestos e atenções.
No processo de me inventar e explorar no instrumento (Chapman Stick) vai nascendo isto: vou tendendo para escrever também e dar voz a essas histórias. Esta é sobre empatia...

Rodrigo Serrão

 

 

 

 

 

 

A letra

Ela acorda, sai da cama,
E diz-lhe só: vem ver a lua,
Espreita aqui, desta janela,
que o mar à noite é só de espuma.

Acorda, acorda, sem demora,
Acorda, acorda, acorda agora...

Acorda agora e vem depressa,
Vai tão alta a nossa lua,
E os segredos que revela,
São só p'ra dizer que ainda sou tua.

Acorda que ela já se agiganta
E me desperta e deixa nua,
Sai da cama que é madrugada
E só daqui se vê a Rua.