Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós

A Nu - o Fotógrafo Paulo Madeira

   Paulo Madeira (P.M.) é um fotógrafo português que prima pela ousadia nas suas produções. Ao seu olhar, um falo pode adquirir uma dimensão artística significativa.

Pessoalmente, adoro os seus trabalhos a P&B. Uma das suas galerias está disponível, online, aqui.

 

Vamos conhecê-lo melhor?

Preparem-se para, além de conhecer o fotógrafo, aprender.

 

Fotógrafo Paulo Madeira

 

 

 

 

P.P.: — Quem é o fotógrafo Paulo Madeira?


P.M.: —
A luz é por defeito o agente primordial do universo visual, dela dependem todos os mecanismos de ver e de olhar...Por vezes, as relações presentes no meu trabalho, passam particularmente pelo registo do tempo num processo criativo, descobrindo a beleza do corpo humano e os seus gestos eróticos nas suas sombras mais subtis, desde a intimidade silenciosa, meditação até ao desejo confessado e dedicação sem limites!
Tenho 39, sou de Alcobaça e sempre fui um apaixonado por fotografia, aliás tudo o que esteja relacionado com as artes eu tenho um certo jeito! Fiz ballet clássico e contemporâneo, mas, foi na fotografia que expressei mais a minha veia artística, transpondo por norma, personagens criadas por mim ou imaginadas, nas pessoas que fotografo. Sou uma pessoa igual a muitas outras, em que a criatividade parece fluir sem ter fim!

 

De Paulo Madeira

 

P.P.: — Quais são os tipos de trabalhos que preferes realizar?

P.M.: — Dentro de muita coisa, possível e imaginária que se possa fotografar, é nas pessoas que a minha veia artística mais se nota. Particularmente nos retratos! Fazer um bom retrato é quase que absorver a alma da pessoa e transpô-la para a fotografia.

 

Retrato por Paulo Madeira

 

P.P.: — Regra geral, o corpo da mulher é mais fotografado do que o do homem. Alguns autores defendem a beleza nas simetrias, outros a harmonia num só corpo. A tua fotografia incide sobretudo em modelos masculinos. Que aspetos valorizas no corpo do homem como veículo artístico?

P.M.: — Penso que tanto no Homem, como na Mulher o veículo artístico é o mesmo, a sensualidade, o olhar, a forma do corpo, seja ele magro, gordo ou definido… O olhar é que manda e é ele que transmite para a fotografia a sensualidade da imagem que vemos. Muitas vezes fotografamos Homens com corpos esculturais e depois não conseguem expressar sensualidade com o olhar, logo poucas fotos se conseguem aproveitar, porque o bolo é um todo, como a fotografia é feita com luz e sombra!

 

Fotografia de Paulo Madeira

 

 

P.P.: — Enquanto artista, quais são as dificuldades com que te deparas?

P.M.: — Grande parte das pessoas que fotografo, são pessoas amadoras, que vem fazer fotografia porque o amigo também veio e ficou bem, ou porque gostam do meu trabalho e querem experimentar e assim ficam com fotografia de qualidade! Um dos problemas que encontro é esse mesmo, é ter de ser eu a montar o boneco todo, desde a escolha das roupas, dar um toque no cabelo, make up, direcionar o modelo para conseguir os melhores ângulos, faze-lo rir, chorar, gritar, corar…deitar cá para fora tudo aquilo que eu quero registar! E nem por vezes é fácil.

Depois, outro problema com que me deparo, é que por mais que divulgues os trabalhos, ainda há quem pense que fazemos fotografia para passar o tempo, e que não tem custos! Hoje em dia, a oferta fotográfica é enorme, e cada vez menos as pessoas gastam dinheiro para vir fazer sessões de fotos!

 

Fotografia de Paulo Madeira

 

P.P.: — Os Portugueses ainda revelam muitos complexos com a sua sexualidade?

P.M.: — Sim! Grande parte dos Portugueses não mostram aquilo que na verdade são. Aí está um outro problema! A falta de confiança em si mesmo, a afirmação…. Em não se darem a conhecer aos outros por causa da sociedade, da religião, credo,... sei lá. Muitos andam camuflados e vivem aterrorizados com medos disto e daquilo.

A fotografia como terapia nestes casos funciona, e através dela as pessoas mostram o que na vida real ou no mundo lá fora nunca vão mostrar. Fora isso, o Homem português continua a ser o mais inibido e a esconder algo que todos os homens têm igual. É nisso que são complexados, no tamanho de pénis: uns porque é grande, outros porque é pequeno.. Lá está, conhecem-se mal a eles próprios!

 

Fotografia de Paulo Madeira

 

Muito obrigado, Paulo pela colaboração e cedência das obras para o blogue.

 

Para finalizar, um slideshow com algumas obras deste excelente fotógrafo.