Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião e entretenimento, no deambular entre pólos

[in]Sensato

Momentos de reflexão, opinião e entretenimento, no deambular entre pólos

Desafio - A completar frases

Desafio by PP

 

   A minha vizinha Ninita, do blogue Ninita's , nomeou-me para dar continuidade ao Desafio "Completar Frases".

Aceitei e agradeci-lhe a proposta.

 

Vamos lá?

 

Sou muito ansioso, o que torna-se, em meu entender, um defeito. Desde os 15 anos, sofro por antecipação.

 

 

Não suporto a falta de frontalidade, o egocentrismo da sociedade atual e concomitante umbilicismo, injustiças, quem rotula tudo e todos, a falta de ética profissional, grande parte das máscaras e mentiras, o sistema de destaques da equipa Sapo Blogs (nem adianta explicar), ...

 

 

Eu nunca me embebedei. Na minha infância, assisti a momentos que fizeram com que repudie sobretudo vinhos vermelhos. Por outro lado, não sou grande apreciador da maioria das bebidas alcoólicas, não entendendo ainda, porque "ser fixe" e divertir-me exige um estado alcoólico.

 

 

Eu já fiz amor ao ar livre, num cenário deveras idílico.

 

 

Quando era criança criava as minhas brincadeiras, com os meus bonecos, caixas de fósforos e de ovos. O meu imaginário era bastante fértil.

 

 

Neste exato momento penso nos meus erros e em como ajudar um ex-aluno a entender que a sua orientação sexual não foi escolhida por ele e que o importante são os seus atos. Rótulos,... só embalagens e um outro tipo levantado por pessoas que pouco têm que fazer. 

 

 

Eu morro de medo de envelhecer sem qualidade de vida, da solidão, do futuro da minha profissão...

 

Eu sempre gostei de ouvir música, ler e de elementos relacionados com a água.

 

 

Se eu pudesse mudava as Escolas, os currículos e a postura da sociedade, no mundo do trabalho, para com grande parte dos portadores de deficiência que são capazes. Criava zonas verdes, levava avante o ordenamento do território, punia incendiários e corruptos, ... Em suma, o melhor seria procurar outro país.

 

 

Fico feliz quando vejo crianças a brincar, entretidas a abrir buracos no solo, a jogar ao berlinde, ... a viverem uma infância com "I".

 

 

Se pudesse voltar no tempo aproveitaria para diminuir o sofrimento durante a minha adolescência e teria emigrado assim que terminei o curso. 

 

 

 Adoro chocolate, uma boa conversa, um bom café, pessoas agradáveis, espaços verdes, ... a Biosfera, poder ajudar e sentir que consegui estender a mão, atempadamente, a alguém.

 

 

 Quero muito ir para onde a alma não me doa.

 

 

Eu preciso de superar toda esta fase de doenças graves no seio familiar, gostar de mim e viver.

 

 

Não gosto de incêndios, ver lixo ou a floresta destruída, faltas de educação, deparar-me com o atual sistema de valores, da forma como os idosos são encarados no nosso país, de ser obrigado a integrar determinado grupo (não adianta pois não o faço. Sou de extremos) preconceitos, de ver crianças maquilhadas e vestidas como adultas, de pessoas mal intencionadas, de ver sofrimento, estar em hospitais, deparar-me com um acidente, conduzir,...

 

Terminada esta etapa, é chegada a altura de contemplar alguns leitores, por forma a darem continuidade a este desafio. Todos estão convidados.

Destaco, a Carlota, a Psicogata, a Marta, a Alice Alfazema, a Alfa, o Estúpido Aluga-se e a Artemisa.

 

 

Nota: ficamos em 5.º lugar, nos blogues mais comentados.

Os R da Sustentabilidade

 

Sustentabilidade

 

 

   A política dos 3 R consiste num conjunto de medidas de ação adoptadas em 1992, por ocasião da Conferência da Terra, realizada no Rio de Janeiro, bem como no 5.º Programa Europeu para o Ambiente e Desenvolvimento de 1993.
Esta política é válida para todo o tipo de resíduos/efluentes sólidos, líquidos e gasosos. Os 3 Rs da sustentabilidade (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) são ações práticas que visam minimizar o desperdício de materiais e produtos, além de poupar a natureza da extração inesgotável de recursos. Adotando estas práticas, é possível diminuir o custo de vida reduzindo gastos, além de favorecer o desenvolvimento sustentável.

 

REDUZIR

   Consiste em evitar a produção de resíduos, evitando consumos desnecessários, utilizando produtos em embalagens familiares ou sem embalagens excessivas, recorrendo a novos materiais, designs inovadores e tecnologias com maior respeito pelo ambiente, uso racional da água, economia de energia elétrica e de combustíveis. Na redução, o objetivo é comprar bens e serviços de acordo com nossas necessidades para evitar desperdícios, adotando um consumo não apenas com consciência ambiental, mas também económica

REUTILIZAR

   Consiste em utilizar um produto mais do que uma vez para o fim para o qual foi produzido ou para outro fim. Para tal, devemos optar por embalagens com recarga, aproveitar o verso das folhas para rascunho, preferir pilhas recarregáveis, atualizando os processos produtivos e adotando tecnologias mais limpas.

RECICLAR

  A reciclagem envolve o processamento de um material com sua transformação física ou química, seja para a sua reutilização sob a forma original ou como matéria-prima, para a produção de novos materiais com finalidades diversas. Por exemplo, pneus antigos podem se tornar componentes para asfalto ou latas de alumínio podem ser fundidas para darem origem a novas latas. Mas nem todos os lixos são recicláveis. Para que os materiais possam ser reciclados é necessário proceder a sua deposição no respetivo ecoponto. Os materiais mais comuns no processo de reciclagem são o vidro, o papel/cartão e o plástico/metal.

 

   Com a evolução e dado o facto destas medidas serem recentes integrou-se um "novo R", passando a falar-se nos 4 R's da Sustentabilidade: Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Reparar.

 

Sustentabilidade

 

 

REPARAR

   É um processo que consiste na recuperação de certos materiais, que ainda estejam em  condições mínimas para serem trabalhados e posteriormente utilizados, como é o caso dos móveis.

 

 

 

Alguns aspetos a considerar:

 

- Os mais velhos resíduos do mundo foram encontrados na África do Sul e têm cerca de 140 mil anos de idade. Estes resíduos contém ossos, carvão, fezes e restos de cerâmica;

- O papel pode levar 3 a 6 meses a ser "absorvido" pela natureza;

- Uma simples pastilha elástica pode levar 5 anos a ser decomposta;

- As latas de refrigerante podem levar 100 anos para se decomporem;

- O plástico pode levar até 500 anos;

- Se reciclarmos uma tonelada de papel salvam-se cerca de 20 árvores;

- Os plásticos são feitos a partir do petróleo.

A Mutilação Genital Feminina continua...

mutilação genital feminina -portugal-mulheres

 

 

 

   A mutilação genital feminina é um ato hediondo, praticado contra o ser humano, neste caso mulheres e meninas, que consiste no corte parcial ou total dos órgãos genitais externos da mulher, como o clitóris e/ou os lábios vaginais, a sangue frio, com uma navalha, uma lâmina ou com um pedaço de vidro. O nome mais comum é "fanado", ato executado pelas "fanatecas". Muitas delas, mulheres na menopausa, com idades compreendidas entre os 30 e os 70 anos, que vivem exclusivamente de tal prática.

Na Guiné-Bissau, esta prática diminuiu apenas 5% entre 2010 e 2014, tendo as vítimas idades compreendidas entre os 15 e os 49 anos. De facto, já ouvira falar de tal prática, quando o meu pai relatava alguns dos aspetos mais inusitados a respeito da Guerra do Ultramar, tendo ele combatido no país em causa. Contudo, não escondo a minha ingenuidade ao pensar que, volvidos tantos anos, tal prática estaria irradiada. Afinal, continuamos a assistir à mulher escrava, sem direito ao prazer ou à tomada de decisões

 

   De acordo com Fatumata Djau Baldé, esta prática também acontece em Portugal e há líderes de mesquitas a defender que a excisão é uma "recomendação islâmica", inscrita no Corão, em nome da "pureza" das raparigas. Também Fatumata foi sujeita a este ritual e tem vindo a lutar contra a extinção desta prática que não tem nada de religiosa, à exceção das interpretações dúbias do Corão, mas muito de cultural. Leia-se a sua entrevista à RTP.

 

   Se quiser, pode ler e saber mais sobre este tema, aqui e aqui.

 

 

Pág. 1/5