Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós

Leitura - Mil Sóis Resplandecentes

 

 

<< - Que rapariga estúpida! Pensas que tens alguma importância para ele, que és desejada na casa dele? Pensas que te considera uma filha? Que te vai receber lá? Deixa-me dizer-te uma coisa. O coração de um homem é perverso, perverso, Mariam. Não é como o ventre de uma mãe. Não sangra, não se dilata para te arranjar lugar...>>

 

Khaled HosseiniMil Sóis Resplandecentes

 

 

 

 

IMG_20180117_104956_237 by PP

 

 

 

Mil Sóis Resplandecentes, de Khaled Hosseini, acompanha a história de duas mulheres afegãs, de duas gerações distintas, cuja vida se cruza no meio das convulsões que afetaram o país no último quarto do século XX e início do século XXI. O livro, escrito numa linguagem acessível mas tocante, faz com que o leitor tome contacto com uma realidade completamente diferente da nossa e, muitas vezes, quase inacreditável perante tantos valores que hoje e já desde há algum tempo tomamos como certos. Encontramo-nos cara a cara com a intolerância, com a guerra e com a força da tradição. Mas é também nesse cenário que percebemos o poder da amizade e do amor.
Muitas coisas me tocaram ou chocaram ao longo da leitura deste livro, mas nada como a transcrição de um panfleto com as regras impostas pelos talibans às mulheres, quando chegaram ao poder. Proibições de sair de casa desacompanhadas, de mostrar o rosto, de cruzar o olhar com um homem ou de rir, trabalhar e ir à escola. Custa a acreditar que isto tenha existido.

 

Célia M., Mil Sóis Resplandecentes, acedido em 17/01/2018, às 16h 30 min