Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós...

[In]sensato

O (in)correto deambula entre nós...

A hidratar e matificar a pele

   A minha pele é mista com tendência acneica. Normalmente, coloco uma máscara purificante e/ou hidratante 1 a 2 vezes por semana e faço uma esfoliação por semana. Sempre à noite, depois de lavar com água tépida.

 

   Como ontem estava com uma boa dose de preguiça, fruto de uma formação online, recorri à Garnier Skinactive Hydrabomb - Máscara Hidratante Matificante, que podem encontrar nas grandes superfícies, aqui ou aqui, quase a metade do preço.

 

Hidrabomb matificante by PP

 De acordo com a marca, trata-se de

 

 

... uma máscara em tecido, que ajuda a hidratar intensamente, enquanto atenua o excesso de oleosidade e minimiza os poros, com efeito mate.

Inspirada em tendências de cuidado de pele provenientes da Ásia, esta máscara em tecido é uma bomba de eficácia que, em apenas 15 minutos, deixa a pele intensamente hidratada, alisada, mate e luminosa. Proporciona uma hidratação prolongada (até 24h).

Purifica e regula o excesso de oleosidade. Minimiza o tamanho dos poros e matifica.

Reforça a barreira cutânea natural.

Protege contra as agressões externas e preserva o aspeto jovem.

 

   Da minha experiência, esta máscara hidrata ligeiramente, mas não tanto quanto a sua irmã, a Hydra Bomb (de efeito hidratante revitalizante). Não me parece que reduza os poros, embora não os tenha muito evidentes para avaliar este parâmetro, ou tenha significativo efeito matificante. Contudo, deixa a pele lisa e nada oleosa. Quando comprada na Primor o seu preço é ligeiramente adequado. Já em Portugal, trata-se de um produto caro, atendendo à relação qualidade/preço.

 

Poesia - Eu e Ela

flowers-677371 @ Pixabay

 

 

 

Cobertos de folhagem, na verdura,
O teu braço ao redor do meu pescoço,
O teu fato sem ter um só destroço,
O meu braço apertando-te a cintura;

Num mimoso jardim, ó pomba mansa,
Sobre um banco de mármore assentados.
Na sombra dos arbustos, que abraçados,
Beijarão meigamente a tua trança.

Nós havemos de estar ambos unidos,
Sem gozos sensuais, sem más idéias,
Esquecendo para sempre as nossas ceias,
E a loucura dos vinhos atrevidos.

Nós teremos então sobre os joelhos
Um livro que nos diga muitas cousas
Dos mistérios que estão para além das lousas,
Onde havemos de entrar antes de velhos.

Outras vezes buscando distração,
Leremos bons romances galhofeiros,
Gozaremos assim dias inteiro,
Formando unicamente um coração.

Beatos ou apagãos, via à paxá,
Nós leremos, aceita este meu voto,
O Flos-Sanctorum místico e devoto
E o laxo Cavaleiro de Faublas...

 

Cesário Verde, in 'O Livro de Cesário Verde'